Assembléias de Deus

Assembléias de Deus
Selo da unidade no centenário


MusicPlaylistRingtones
Create a playlist at MixPod.com


Bancada evangélica em Brasília encolheu
Só Bancada Assembleiana teve aumento: de 5 para 12 deputados federais
A Frente Parlamentar Evangélica no Congresso Nacional encolheu para o período 2011-2014. Se eram mais de 40 parlamentares até a atual legislatura, o número para começar a nova legislatura ano que vem não deve ultrapassar a casa dos 30 parlamentares. Apenas a "Bancada Assembleiana", por assim dizer, teve aumento. Na legislatura de 2003-2006, ocorreu o recorde de deputados federais assembleianos eleitos: 22. Na legislatura seguinte (2007-2010), esse número caiu drasticamente para 5 deputados federais. Agora, após o pleito de ontem, houve um significativo aumento: haverá 12 deputados federais assembleianos na próxima legislatura.Abaixo, veja a lista dos deputados federais evangélicos com eleição confirmada até às 7h da manhã de hoje, segundo dados do TSE. Entre parênteses, a posição de cada um entre os mais votados em cada Estado. Os deputados da "Bancada Assembleiana" aparecem com seus nomes em destaque e respectivos números de votos. Na lista, não constam os candidatos eleitos ligados à Igreja Universal, e que divergem em algumas questões defendidas pela Frente Parlamentar Evangélica. O destaque da Universal, mais uma vez, foi o senador Marcelo Crivella, reeleito senador como segundo mais votado no Rio de Janeiro, com 3.332.886 votos. Evangélicos com eleição confirmada para deputados federais para legislatura 2011-2014: São Paulo - Marco Feliciano (12º - 211.803 votos); Paulo Freire (24º, 161.083 votos); Missionário José Olimpo (26º); Marcelo Aguiar (57º). Rio de Janeiro - Garotinho (1º); Eduardo Cunha (5º); Arolde de Oliveira (13º); Filipe Pereira (14º); Benedita (30º); Washington Reis (9º), 138.811 votos); Liliam Sá (43º). Espírito Santo - Lauriete (8º, com 69.918 votos)Distrito Federal - Ronaldo Fonseca (7º, 67.920)Goiás - João Campos (7º, 135.968 votos)Pará - Zequinha Marinho (7º, 147.429 votos)Pernambuco - Pastor Francisco Eurico (5º, 185.870 votos)Paraná - Takayama (14º, 109.895 votos); André Zacharow (20º)Amazonas - Silas Câmara (4º, 126.688 votos)Sergipe - Pastor Heleno (6º)Rondônia - Nilton Capixaba (3º, 32.016 votos)

domingo, 25 de julho de 2010

A GLÓRIA DE PERDER E A TRAGÉDIA DE GANHAR


Quantos sejam os anos da vida de um ser humano, ela sempre se caracteriza por uma sucessão de ganhos e perdas.Jesus estabeleceu princípios estranhos, porém sólidos e verdadeiros ao deixar claro que para ganhar é preciso perder.Muitos vivem preocupados o tempo todo com a falsa glória de perder peso e a penosa tragédia de ganhar fama. A perda de peso é falsa porque nada acrescenta ao caráter. O lucro da fama pode ser uma tragédia pelos inimigos que conquista e pelo mau uso das benesses por ela adquiridas.Ganhar a salvação quase sempre significa perder amigos, mas estes são efêmeros enquanto aquela é eterna.Quando Cristo nos ganhou, o Diabo nos perdeu. Moisés perdeu o fausto do trono do Egito, mas ganhou a glória da comunhão com Deus no monte.Abraão perdeu a estabilidade de Ur dos Caldeus, mas ganhou o status de peregrino de Adonai. Em Ur, vivia em esterilidade. Como peregrino, tornou-se pai de uma multidão de nações.Muitos perdem a honra quando ganham muito dinheiro. Outros ganham reputação, quando perdem o temor de ser honrados.Muitos perdem o tempo que não sabem aproveitar e ganham o prêmio da inatividade. Outros ganham o troféu de laboriosos, enquanto perdem o amor pela inércia.Abrão perdeu o nome de mais alto, para ganhar o de mais amado. É melhor ser amado em baixo, que desprezado em cima.Jacó perdeu o direito de andar totalmente ereto entre os homens, mas ganhou o privilégio de um novo nome, que o declarava príncipe de Deus. É melhor ter o defeito de Jacó que a beleza de Absalão. Daniel perdeu o prazer de ricos banquetes, mas ganhou a bênção de interpretar sonhos do rei.José perdeu a emoção de uma aventura rápida com a mulher de Potifar para ganhar a designação de Primeiro-Ministro da nação mais poderosa de seu tempo.Esaú perdeu o respeito pela primogenitura para ganhar o título de leviano e fornicário.João Batista considerou uma glória perder a cabeça física, para poder ganhar a aprovação da Cabeça Espiritual.Ananias quis ganhar algumas cédulas que enriqueceriam seu patrimônio, mas perdeu a própria vida, sob o juízo de Deus.Alguns perdem o respeito para ganhar posições. Outros perdem posições para ganhar o respeito.Existem os que choram quando ganham, pois sabem que a vitória era de outros e os que se alegram quando perdem, pois perderam o que não deviam possuir.Na contabilidade espiritual de Paulo, perder posições humanas era uma glória, enquanto ganhar almas era um privilégio. Caro leitor, como estás no ganha-e-perde da vida? Bem-aventurados os que se desvencilharam de tudo que ganharam erradamente. Mais bem-aventurados ainda os que conseguiram recuperar tudo aquilo que jamais deveriam ter perdido.O filho pródigo, longe de casa, experimentou a tragédia de ganhar amigos. Só quando vivenciou a glória de os perder, se sentiu realmente feliz.O irmão do filho pródigo perdeu a alegria quando o viu ganhar a reconciliação.Para aqueles que choram as muitas perdas de ontem, recordamos que elas serão superadas e esquecidas pelas vitórias de amanhã.O cego de Jericó viveu a glória de “perder” sua capa, para não sentir a tragédia de ganhar a morte estando ainda cego.Ganhar é uma tragédia quando está em jogo aquilo que não se deveria possuir. Perder é uma glória quando se trata daquilo que jamais se deveria obter. Quando Jesus quis declarar que a tragédia de ganhar o mundo só pode ser evitada pelo desprezo à glória de ganhar o que ele oferece, Ele propôs uma questão, que nunca pode ser esquecida: “De que aproveitaria ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma”?

terça-feira, 11 de maio de 2010

Procure o que foi perdido dentro da sua casa


A parábola da dracma perdida faz parte do conjunto de parábolas que Jesus contou em Lucas 15 para ilustrar o amor de Deus pelos pecadores. Nas três parábolas, Deus busca o que estava perdido, encontra o que estava perdido e celebra com efusiva alegria a recuperação do que estava perdido.
Voltaremos nossa atenção para a parábola da dracma perdida. Algumas lições merecem destaque:

A mulher perdeu algo de valor dentro de casa
– Ela perdeu uma moeda de sua coleção. Das dez dracmas, a mulher perdeu uma e a perdeu dentro de casa. Mais importante do que valores são os relacionamentos. Mais precioso do que bens são as pessoas. Muitas vezes, por descuido, nós também, perdemos verdadeiros tesouros dentro de casa. Perdemos a comunicação, perdemos a alegria da comunhão, perdemos o acendrado amor com que devemos amar uns aos outros.

A mulher não se conformou com a perda
– A mulher poderia ter se conformado com a perda da moeda. Afinal, ela ainda tinha nove delas guardadas em segurança. Mas, essa mulher não aceitou passivamente a perda. Ela não se conformou com a derrota. Ela não desistiu de recuperar a moeda perdida. Muitas vezes, nós somos descuidados em guardar os tesouros que temos e quando os perdemos somos vagarosos e até desanimados para procurar o que se perdeu. Conformamo-nos facilmente com a derrota como o sacerdote Eli. Preferimos desistir do casamento, dos relacionamentos, do que lutar para recuparar o que se perdeu.

A mulher acendeu a candeia para procurar o que havia perdido
– As casas na Palestina não possuíam janelas. Eram ambientes escuros e ensombreados. Era impossível procurar algo perdido sem acender a candeia. Se queremos reencontrar o que perdemos dentro da nossa casa, precisamos de igual forma acender a candeia. A candeia é um símbolo da Palavra de Deus. Precisamos iluminar nossas mentes, nossos corações e nossos relacionamentos pela luz da Palavra se de fato queremos encontrar esses tesouros perdidos dentro da nossa casa.

A mulher varreu a casa para procurar o que se havia perdido
- A mulher teve coragem de mexer e remover do lugar muita coisa. Ela teve iniciativa e esforço. Ela enfrentou o desconforto da desinstalação. Ela levantou muita poeira ao varrer cada canto da casa à procura do seu tesouro perdido. Se queremos a restituição desses tesouros perdidos dentro da nossa casa, precisamos de igual forma procurá-los diligentemente. Não podemos ser omissos nem acomodados. Não podemos ter medo de mexer em algumas coisas já sedimentadas. Não podemos ter medo de desconforto. Há muitos indivíduos que estoicamente desistem de procurar o que se perdeu em sua vida, em seu casamento, em sua família. Preferem encontrar justificativas para as perdas a investir tempo na busca do que se perdeu. Não devemos desistir jamais, pois o desconforto da busca não deve nos privar da alegria do encontro.

A mulher comemorou com grande alegria o encontro daquilo que estava perdido
- A mulher perdeu a moeda no recesso do lar, sob as sombras do anonimato, mas ela celebrou o encontro da dracma publicamente sob os auspícios da luz. Nossas conquistas e bênçãos devem ser conhecidas e proclamadas. As outras pessoas devem conhecer nossas vitórias e participar das nossas alegrias. Há festa no céu quando um pecador se arrepende e quando o perdido é encontrado; também há alegria diante dos homens quando os tesouros que perdemos dentro da nossa casa são encontrados. É tempo de acendermos a candeia e pegarmos a vassoura. É tempo de procurarmos diligentemente aquilo que perdemos. É tempo de celebrarmos com os nossos irmãos as vitórias que vêm de Deus e a restituição das bênçãos de outrora!


A maioria das pessoas reconhece um ambiente de graça quando o vê. Elas simplesmente apontam os resultados: as pessoas se sentem seguras, crescem, confiam umas nas outras, vivem de forma autêntica, celebram unidas, riem muito e produzem mais. É interessante como, em alguns ambientes, a graça é tão evidente que podemos senti-la imediatamente, mesmo antes da compreensão cognitiva dos comportamentos observados!

O que é “graça”?
· Graça é um favor não-merecido. É dar algo de valor a quem não merece, mas precisa.
· Graça é tratar as pessoas melhor do que elas merecem.
· Graça é tratar as pessoas melhor do que nós esperamos ser tratados.
· Graça é não desistir daqueles que desistem de nós.
· Graça é dar amor ao que não merece ser amado.
· Graça é ser grato, apesar da ingratidão das pessoas.
· Graça é servir aos inimigos.
· Graça é abençoar os que nos amaldiçoam.
· Graça é falar bem de quem fala mal da gente.
· Graça é orar pelos que nos perseguem.
· Graça é vencer o mal com golpes de bondade.
· Graça é desejar o bem para os que nos desejam mal.
· Graça é perdoar, mesmo quando esse perdão não é solicitado.
· Graça é se importar com aqueles que não se importam com você.

O que acontece quando falta “graça” no ambiente FAMILIAR? “Tudo no Evangelho se fundamenta na ‘graça’. Sem a ‘graça’, o Evangelho não teria o poder de Deus para a salvação do homem!”

1. Quando falta graça, as regras acabam se tornando mais importantes do que os relacionamentos. Regras só têm valor quando, primeiro, se constrói um relacionamento de confiança com a família. Quando falta confiança, ninguém se abre para aprender ou para ser influenciado. Um ambiente permeado pela graça é um solo fértil para a construção de relacionamentos de confiança.
2. Quando falta graça, amamos as coisas e usamos as pessoas. Observe que o pai não perguntou ao “filho pródigo” sobre o dinheiro que ele havia desperdiçado numa vida desregrada. O que mais importava não eram as coisas (dinheiro), mas sim, o filho.
3. Quando falta graça, a indiferença revela que o coração da família foi petrificado. Nesse ambiente de corações petrificados, ninguém ouve com empatia, ninguém se coloca no lugar do outro para sentir o que ele está sentindo. Nesse ambiente, não há reconstrução, reconciliação e nem restituição. A maior evidência de que falta graça no ambiente de muitas famílias é a indiferença. A graça faz com que nos importemos com a dor do outro. Onde há sensibilidade, é porque ali reina a graça de Deus.
4. Quando falta a graça, não há flexibilidade; e, como todos sabem, toda estrutura rígida se quebra com facilidade.

O chão da sua casa é afofado com graça? O ambiente da sua casa é enriquecido com graça? Que o Senhor não deixe faltar graça em sua casa!
por Josué Gonçalves

sábado, 8 de maio de 2010

Faço esta homenagem para todas as mães.



O coração das mães é um abismo no fundo do qual se encontra sempre um perdão.
Algumas mães são carinhosas e outras são repreensivas, mas isto é amor do mesmo modo, e a maioria das mães beija e repreende ao mesmo tempo.
Mãe: palavra pequena, mas com um significado infinito, pois quer dizer amor, dedicação, renúncia a si própria, força e sabedoria. Ser mãe não é só dar a luz e sim, participar da vida dos seus frutos gerados ou criados. Obrigado por termos você.
Em especial a minha Mãe e minha Esposa parabéns pra vocês...

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Graça é o favor de Deus ao homem.


A graça é diferente da misericórdia, vai além. Misericórdia é, por exemplo, Deus perdoar o pecador, esquecer o que ele fez de mal. A graça é Deus, além de perdoar, transformar esse pecador em santo e dar coisas que esse homem não merecia. A graça engloba o perdão, a vida eterna, a santificação, a saúde e a prosperidade.

Tudo de bom que o homem tem vem do alto, ter origem em Deus. O homem por si só não é capaz de se auto transformar. É Deus quem faz a obra. O homem pode, sim, impedir essa transformação. O homem pode receber dádivas de Deus ou rejeitar esses presentes - isso livre arbítrio. Quando o homem recebe coisas boas - isso é graça. Graça é Deus se manifestando ao homem, no homem e através do homem, sem esse homem merecer nada.

É importante entendermos que, embora tudo seja pela graça de Deus, nada foi gratuito para Deus. Ele teve que enviar o seu filho a esse mundo caído para assumir o lugar do homem. Toda a graça de Deus para nós é baseada no preço que Jesus pagou na cruz morrendo em nosso lugar. Foi uma troca que Deus fez. Os nossos pecados passaram para Cristo e a justiça, santidade, glória, graça dEle passou para nós.

Vejamos esses aspectos na bíblia:

Graça Salvadora

É pela graça de Jesus que Deus perdoa os pecados. Nenhum homem merece o perdão de Deus. Todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus. Mas Deus é graciosos e dá perdão a todo aquele que abre o coração para o arrependimento e fé em Deus. A condição para receber a salvação é arrependimento e fé, porém isso não vem de nós, vem de Deus. Nós podemos endurecer o coração e rejeitar essa graça, ou podemos abrir o coração e receber arrependimento e fé para termos a salvação em Cristo.

“Ou desprezas tu as riquezas da sua benignidade, e paciência e longanimidade, ignorando que a benignidade de Deus te leva ao arrependimento?” Romanos 2.4

“Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus.” Romanos 3.24

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” Efésios 2.8



Graça Santificadora

É pela graça de Jesus que Deus santifica o homem. O homem na força da carne não consegue guardar os mandamentos. Pode até guardar alguns, mas vai quebrar outros. Só pela graça podemos ser santos.

“Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum.” Romanos 6.14-15

“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” Gálatas 5.16


Graça para receber o Espírito Santo

É pela graça de Jesus que Deus Batiza no Espírito Santo. Muitos pensam que é por sermos fiéis, bons crentes, bom dizimista, etc, que adquirimos a capacidade de receber o Espírito Santo. Mas a verdade é que recebemos o Espírito Santo pela graça. Pedimos perdão a Deus e o recebemos pela fé. Em seguida, pedimos o seu Espírito Santo, e pela fé o recebemos. O Espírito Santo é um dom.

“Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?” Gálatas 3.2

“Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios por Jesus Cristo, e para que pela fé nós recebamos a promessa do Espírito.” Gálatas 3.14

“Pedro respondeu: ‘Arrependam-se, e cada um de vocês seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos seus pecados, e receberão o dom do Espírito Santo, Pois a promessa é para vocês, para os seus filhos e para todos os que estão longe, para todos quantos o Senhor, o nosso Deus, chamar’”. Atos 2.38-39

Graça para Receber Milagres

Os milagres nos são dados pela graça. Ninguém é merecedor de milagres. E através da fé. O que é de fé não é por obras.

“Aquele, pois, que vos dá o Espírito, e que opera maravilhas entre vós, fá-lo pelas obras da lei, ou pela pregação da fé?” Gálatas 3.5


Graça Ministerial

É pela graça de Jesus que exercemos o ministério. Não servimos a Deus ou fazemos coisas para Ele porque somos capazes de fazê-las. Aparentemente parece que somos nós, mas na verdade é Cristo em nós.

“Pelo qual recebemos a graça e o apostolado, para a obediência da fé entre todas as gentes pelo seu nome,” Romanos 1.15

“Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça,” Gálatas 1.15

“Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que para convosco me foi dada;... Do qual fui feito ministro, pelo dom da graça de Deus, que me foi dado segundo a operação do seu poder.“ Efésios 3.2 e 3.7



Graça da Prosperidade

Mesmo que o homem se esforce, é Deus que dá força para adquirir riqueza.

“Porque já sabeis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo que, sendo rico, por amor de vós se fez pobre; para que pela sua pobreza enriquecêsseis.” II Coríntios 8.9



Graça para mudança de caráter

Ninguém consegue se transformar. Pode até conseguir alguma reforma em alguns aspectos de seu caráter; mas transformação profunda, só através da graça do Senhor. Isso não quer dizer que não haverá a participação do homem. Haverá sim. O homem precisa reconhecer a sua total incapacidade e depender da graça de Cristo. É a operação do Espírito Santo em nós. É necessária a cooperação humana em renunciar o pecado e se dispor em fé a obedecer a Deus. E essa renuncia é pela fé também.

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5.22

Conclusão

Toda glória é de Deus. Se houvesse a força do homem, este teria alguma glória. Até quando há alguma força humana, por trás dela está a graça de Deus, que capacita esse homem a se esforçar. A graça do Senhor é salvadora, santificadora, concede o Espírito Santo, faz milagres, transforma o nosso caráter, levanta ministérios e prospera os homens. Tudo é pela graça. O Senhor não reparte a sua glória com ninguém. A Ele seja toda glória, honra e majestade! Vivamos na graça do Senhor!

quarta-feira, 28 de abril de 2010

III SIMPÓSIO DE JOVENS - AD MADUREIRA EM CUBATÃO


A Igreja Evangélica Assembléia de Deus - Ministério de Madureira em Cubatão, Campo do Parque São Rafael, estará realizando o III Simpósio de Jovens, no dia 15 de Maio de 2010, sob a Supervisão do Pr. Ely Silva de Lima, que também é o Presidente da UNIPEC - Conselho de Pastores e Ministros Evangélicos de Cubatão.

Informações no cartaz acima!


Divulgue e participe!

Maiores informações:


Márcio Teixeira:
13 - 81444260
ID Nextel:105*10685

segunda-feira, 26 de abril de 2010

28 Congresso dos Gideões.




sábado, 24 de abril de 2010

O FERMENTO DOS SADUCEUS


O Fermento dos Saduceus é o ceticismo p/com o sobrenatural e as escrituras. MT. 22:23-29;
Ceticismo:
Doutrina dos que duvidam de tudo, descrença, incredulidade.

O que a bíblia diz sobre a incredulidade?


_ Ela tira a vida eterna Jo. 3:36;
_ Ela não aceita o testemunho de Jesus Jo. 10:25;
_ Ela conduz a condenação Jo. 10:25;
_Ela não reconhece os milagres de Jesus Jo. 3:18;
_ E não fez ali muitas maravilhas, por causa da incredulidade deles. Mt. 13:58;

Abaixo citamos algumas proposições, que contrastam a fé com a incredulidade.

1) A fé confia na palavra de Deus; Mas a incredulidade põe em duvida a certeza da mesma.
2) A fé vê, mas ajuda na promessa de Deus do que impedimentos que poderiam se apresentar; Mas a incredulidade, a despeito da promessa de Deus, pergunta: como podem suceder essas coisas?
3) A fé ajuda a alma a esperar em Deus, ainda que Deus adie a doação; A incredulidade, porém, dá de ombros e rejeita a tudo, se porventura Deus se demora mais um pouco.
4) A fé torna leves as maiores cargas; mas a incredulidade torna as cargas leves em intoleravelmente pesadas.
5) A fé nos ajuda quando nos sentimos desanimados; Mas a incredulidade nos desanima em meios ao sucesso.
6) A fé nos aproxima de Deus, mesmo quando estamos afastados dele; Mas a incredulidade nos afasta de Deus, mesmo quando estamos próximo Dele.
7) A fé leva um homem para debaixo da graça divina; Mas a incredulidade nos segura sob a ira de Deus.
8) A fé nos outorga a vitória sobre a lei, sobre o pecado, sobre a morte, sobre satanás e sobre todos os males; Mas a incredulidade nos torna sujeitos a todas essas coisas.

CONCLUSÃO

Judas v.3; Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da comum salvação, tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos

quarta-feira, 21 de abril de 2010

O Fermento dos Fariseus de Hoje.


O Fermento dos Fariseus. Lc. 12:1;
Jesus condena a Hipocrisia dos Fariseus e adverte seus discípulos a se precaverem contra esse pecado na sua própria vida e ministério.
Jesus acusou os fariseus de praticarem o pecado da hipocrisia, porque eles estavam tentando se esconder atrás de máscaras de praticas religiosas externas.
O que significa a palavra hipocrisia?
_ Essa palavra vem do verbo grego que significa < replica >>>>. O substantivo era usado para indicar< aquele que replica> e no uso e desenvolvimento desse vocábulo,veio a assumir o significado de ator , partindo da idéia de que os atores replicam uns aos outros.
Os fariseus profanavam a prática religiosa, transmutando-a em uma peça de teatro, chegando ao cúmulo de atrair as multidões, que aplaudiam o espetáculo que davam. E a recompensa deles era o aplauso que recebiam.
Hipocrisia consiste em fingir alguém ser aquilo que ele não é, como se estivesse representando ser melhor do que , na realidade, é.
Alguém gostaria de ser algo significativo. Não sendo isso, o individuo apresenta ao público uma fachada de bondade que é falsa ou exagerada.
Hipocrisia é a pessoa fingir ser aquilo que não é, por exemplo, fingir em público ser piedoso e fiel, enquanto, na realidade, acalenta pecados ocultos de imoralidade, cobiça concupiscência e outros mais.
Uma vez que a hipocrisia envolve viver a mentira, isso faz do hipócrita um cooperador e aliado de satanás, o pai da mentira Jo. 8:44;
Jesus adverte seus discípulos de que toda a hipocrisia e pecado oculto serão descobertos;se não for descoberto nesta vida certamente o será no dia do juízo Rm.2:16; 1Co.3:13; 1Co.4:5;
Aquilo que é feito secretamente, será revelado abertamente em alguma ocasião Lc.12:2-3;
A hipocrisia é um sinal de que a pessoa não teme a Deus, nem possui o Espírito Santo com sua graça regeneradora. Quem permanecer nessa condição, não poderá escapar da condenação do inferno
A hipocrisia atrapalha o progresso do Evangelho Mt.23:13;
A hipocrisia usa a religião como forma de auto - engrandecimento Mt. 23:14;
A hipocrisia produz adeptos, mas não convertidos Mt. 23:15;
A hipocrisia enfatiza o menos importante e desprezam o essencial Mt.23:23-24;
Os crentes especialmente os mais ativos, devem separar tempo p/ sondar a sua alma a fim de certificarem-se de seus motivos.
_ Muito solo é cantando p/ exibição
_Muito sermão é pregado p/mostrar talento
_Muita igreja é aberta p/ insulto a outra
Sem amor profetas, mestres, oradores, mártires são despidos sem recompensa
MT. 5:20; porque vos digo que ,se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis na no reino dos céus.
Mc. 7:6; este povo honra-me com os lábios mas o seu coração esta longe de mim.
MT. 23:28; assim também vos exteriormente pareceis justos aos homens ,mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.
Gl.2:6; e ,quanto aqueles que pareciam ser alguma coisa (quais tenham sido noutro tempo, não se me dá; Deus não aceita a aparência do homem), esses digo, que pareciam ser alguma coisa, nada me comunicaram.
Ap.3:1; ...eu sei as tuas obras , que tens nome que vive e estás morto.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

NÃO PERCA !!!


A CPAD estará realizando o Congresso Nacional de Escola Dominical na cidade de Maceió-AL, no período de 23 a 26 de Setembro de 2010.

sábado, 10 de abril de 2010

RIO DE JANEIRO, URGENTE !!!


Após chuva no Rio, missionários estão ajudando famílias desabrigadas
Missionários da Jovens com uma missão (Jocum) trabalham incessantemente no morro do Borel, localizado no bairro Tijuca, na zona norte do Rio de Janeiro (RJ), para encaminhar desabrigados e ampará-los nas necessidades básicas após as chuvas. Desde segunda-feira, quando caiu o forte temporal 153 pessoas morreram em todo o Estado.

O Creio entrou em contato com a entidade e conversou com a missionária Daniele Fernandes, que nos contou da situação real do morro do Borel e da comunidade que mora nas áreas do local. "Estamos recebendo muitas famílias na nossa sede, mas não pudemos oferecer nosso abrigo porque a associação de moradores e a prefeitura pediram pra eles ficarem na escola pública Ciep. Já fazem dois dias que as pessoas estão lá, mas fiquei sabendo que estão querendo transferí-los para um outro lugar".

Daniele disse que a sede da Jocum no morro do Borel está servindo de ponto de apoio aos moradores da comunidade, recebendo roupas, alimentos e outros donativos, doados pela própria comunidade, igrejas locais e parceiras como a ' Comunidade Evangélica Jesus Vive', além de doações da Igreja Batista de Água Branca (Ibab) de São Paulo.

"Nós (Jocum) fomos os primeiros a sermos procurados pelos moradores e com isso estamos encaminhado essas pessoas para o cadastramento de desabrigados, os missionários que estão na parte de baixo do morro estão ajudando em fazer comida, prestando assistência médica já que temos um ambulatório aqui", enfatiza Daniele.

Com relação às dificuldades enfrentadas, a missionária contou que está na subida da defesa civil para vistoriar as casas e áreas de risco onde a chuva não pára, falta de distribuição de água devido o soterramento de canos e alojamento aos desabrigados.

Os pontos de arrecadação na tijuca estão recolhendo doações para várias comunidades fora a do Borel, como a do Formiga, do Andaraí e outras.

Para quem quiser entrar em contato com a Jocum mande email para faleconosco@jocumborel.org.br

quinta-feira, 1 de abril de 2010

1 de Abril - Dia da Mentira


"Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seu feitos" Cl 3.9

Estamos falando do dia 1° de Abril. Atualmente, os trotes e as brincadeiras que caracterizam esse dia não são vistos mais com tanta freqüência. Motivo? Os fatores sociais, como por exemplo, o excesso de trabalho e as preocupações diárias, principalmente nos grandes centros urbanos industrializados, onde o corre corre do dia-a-dia não dispensa tempo para tais brincadeiras.
Toda via existem pessoas que ainda encontram tempo e se utilizam dessa data como um meio de entretenimento. Entre as crianças, de idades variadas, o dia da mentira ainda é uma sólida realidade, visto que nas escolas sofrem grande influência das brincadeiras em torno desse dia. Pergunto, então: Quem ensinou as crianças que 1° de abril é dia de mentir? Quais as conseqüências dessa brincadeira? Será que se trata mesmo de um hábito inocente?
Será que só as crianças mentem nesse dia?
Passar trotes e mentiras no dia 1° de abril é um costume comemorado em todo mundo. Nos Estados Unidos, esse dia é conhecido como April Fools Day; na França, Pisson d’ Avril; e em Portugal, O Dia dos Enganos.
A Origem Desse Dia
Por se tratar de folclore, existem várias interpretações atribuídas á origem do dia da mentira. Alguns explicam que ele surgiu no século XVI, quando o rei Carlos IX, de seu Castelo de Rousillon, em Dauphine, França, baixou um decreto determinando que o ano deveria iniciar no dia 1° de janeiro, e não em 1° de abril, como acontecia. Os Franceses, então, aproveitaram esse fato para satirizar o dia 1° de abril, data em que se celebrava o ano novo. E fizeram isso com brincadeiras e ditos pitorescos, e muita gente, por ignorância ou falta de lembrança, caía nos enganos dos demais. Outra versão para a origem do dia da mentira é contada pelos estudiosos. Segundo eles, o príncipe Loraine, ao fugir do Castelo de Nacy, pregou uma peça no rei Luís XIII exatamente nesse dia. Sua intenção era brincar com o rei, nadando pelo rio Meurthe. Com a impopularidade de Luís XVIII, os franceses aproveitaram o fato para ridicularizá-lo. No Brasil, o folclórico dia da mentira foi trazido pelos portugueses.
O Dia da Verdade
Por que os homens escolheram um dia para a mentira? Por que não existe um dia para a verdade? A resposta vem da própria Palavra de Deus, que diz:

"Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras" (Sl 58.3).
Qual seria então o dia da verdade? Asseveramos que não existe um dia específico para a verdade, mas sim, que devemos sempre dizer a verdade:

"Por que a minha boca proferirá a verdade, e os meus lábios abominam a impiedade" (Pv 8.7).

A Bíblia não faz distinção entre pecado pequeno e pecado grande! Toda e qualquer transgressão aos preceitos determinados pela Palavra de Deus é pecado e necessita de perdão!
A mentira é um hábito corriqueiro na sociedade atual. Num filme americano, que no Brasil foi lançado com o título O mentiroso, Jim Carey, que ganhou o papel principal, interpreta um advogado que passa o tempo todo do filme mentindo e, por conta disso, vive situações muito delicadas. Esse é o efeito da mentira, colocar as pessoas em situações diversificadamente delicadas e constrangedoras!
É muito comum as pessoas mentirem para tentar resolver as questões mais simples da vida. Por exemplo, mentem para serem aceitas em determinado grupo, ou para não terem de dar maiores explicações. Mas os fins não justificam os meios. O problema maior consiste quando a pessoa toma a mentira como verdade. E é justamente isso que acontece, e com freqüência, nas seitas. O perfil psicológico do sectário é vulnerável. Eles aceitam ensinos irracionais e resistem á argumentação sensata. Nas seitas, devido ao autoritarismo e ao exclusivismo, a tendência ao erro sobressai. Um missionário mórmon declarou que acreditaria no Livro de Mórmons, ainda que esse livro dissesse que existem círculos quadrados. Nisto vemos o cumprimento da Palavra de Deus: E desviarão os ouvidos da verdade, voltando ás fábulas (2. Tm 4.4).
A mentira é mais um dos muitos laços que Satanás se utiliza para povoar o lago de fogo e enxofre, que o destino eterno da besta, o falso profeta, do próprio satanás e de todos aqueles que a praticam:

"Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte" (Ap 21.8 ).
A Bíblia declara que um abismo chama outro abismo (Sl 42.7). Seguindo esse raciocínio, podemos dizer que uma mentira atrai outra mentira. Não ignoramos o fato de que muitos adeptos de seitas são sinceros na sua crença, contudo, estão sinceramente errados. Não podemos, entretanto, dizer o mesmo de seus líderes, que ensinam aos fiéis suas mentiras como sendo verdades incondicionais. A mentira cega! Jesus disse:

"Deixai-vos; são condutores cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova" (Mt 15.14).

E Paulo confirmou:

"Mas os homens maus e enganadores irão de mal a pior, enganado e sendo enganados" (2 Tm 3.13).

A Bíblia e a Mentira
Existe um ditado popular que diz: A mentira tem perna curta. Abraham Lincoln, disse: Pode-se enganar todas as pessoas durante todo o tempo, mas não se pode enganar todo mundo por todo tempo.
Exortações bíblicas quanto á mentira: o que usa de engano não ficará dentro da minha casa; A falsa testemunha não ficará impune e o que respira mentiras não escapará (Pv.19.15) o que fala mentiras não estará firme perante os meus olhos (Sl 101.7). O justo odeia a palavra de mentira (Pv 13.5). O lábio da verdade permanece para sempre, mas a língua da falsidade dura só por um momento (Pv 12.19).

"Estas coisas o Senhor odeia, e a sétima a sua alma abomina: Olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, o coração que maquina pensamentos perversos, pés que se apressam a correr para o mal, a testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre os irmãos" (Pv 6.16-19).
A Bíblia e a Verdade
A mentira tem suas raízes no diabo,

"que foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentirosa, e pai da mentira" JO 8.44

Em contraste, lemos:

"Falai a verdade cada um com o seu próximo; executai juízo de verdade e de paz nas vossas portas " (Zc 8.16). Devemos orar a Deus pedindo:

"Guia-me na tua verdade, e ensina-me, pois tu és o Deus da minha salvação" (Sl 25.5)

"Ensina-me, Senhor, o teu caminho, e andarei na tua verdade; une o meu coração ao temor do teu nome" (Sl 86.11).
Devemos, também, seguir o conselho do sábio Salomão: Compra a verdade, e não a vendas (Pv 23.23).
Fiquemos, pois, com a verdade, busquemos a verdade, falemos a verdade, sigamos a verdade. Foi o próprio Jesus quem disse:

"Eu sou o caminho, a verdade, e a vida; ninguém vem ao pai, senão por mim" (JO 14.6).

E ainda: E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará (JO 8.32). Se a verdade liberta, por que optar pela mentira, que esvazia?

sexta-feira, 26 de março de 2010

Avivamento no Lar



Força hostis e tenebrosas conspiram contra a família e a encurralam de todos os lados, com o firme propósito de desestabiliza- la e destrui-la. Ha uma orquestração do inferno para dinamitar os alicerces desta instituição divina. Torpedos mortíferos estão sendo lançados sobre o lar nesta virada de milênio. Crises gigantescas e medonhas garroteiam a família e a estiolam. Tempestades borrascosas assolam-na com desmesurado rigor. A família tem se transformado, muitas vezes, em campo de guerra, em arena de brigas e mágoas e em cenário de decepção, desencanto e traição.
Em muitos lares a alegria da comunhão já morreu, o diálogo acabou, o fogo da devoção a Deus se apagou e o altar do culto doméstico está em ruínas, coberto de cinzas. A família esta sendo invadida por valores relativos e mundanos e envelopada pela mídia hedonista que despeja sobre os lares um veneno devastador e mortal. Muitos casamentos estão naufragando, vitimados pelo acidente trágico do divórcio, causado pela infidelidade, pela decepção e pela falência dos sonhos de uma vida feliz, deixando feridas profundas na vida dos filhos, que vivem o drama de serem filhos órfãos de pais vivos, afastados de seus pais, guando mais precisam deles.
Nesse contexto de convulsão social, da falência da virtude, do desbarrancamento da piedade, e necessário buscar a Deus c clamar por um avivamento na família, pois cremos que só em Deus está a cura e a restauração para ela. Deus pode pegar um vaso quebrado e fazer dele um vaso novo, pode soprar no vale de ossos secos e levantar daí um exército. Deus pode curar feridas, restaurar casamentos, converter o coração dos filhos aos pais, derramar amor no coração dos conjugues, capacita-los para perdoar e dar-lhes uma nova disposição para investir tudo na restauração da família.
Chamo sua atenção para uma família que foi bombardeada pela furia dc Satanas. Trata-se da família de Jó. Ele era um homem bem- sucedido. Realizado financeiramente. Tinha uma vida moral ilibada. Era elogiado pôr Deus. Era um pai extraordinário que tinha boa comunicação com os filhos e orava pôr eles constantemente às madrugadas. Satanás, porem, questionou a integridade de Jó e Cus permitiu que ele fosse provado. Satanás atingiu as cinco áreas vitais da sua vida:

1-Finanças;
2-Filhos;
3-Saúde;
4-Casamento;
5-Amizades.

Jó perdeu todos os seus bens. Ele foi a falência. Ele ficou arruinado financeiramente. Depois desse esbarro desinstalador, ele ainda perdeu seus dez filhos, esmagados e soterrados por um terremoto, num dia de festa e celebração da família. Esse pai, com o coração apertado vai para o cemitério sepultar todos os seus filhos num único dia. Se isso não bastasse, seu corpo foi ferido dos pés a cabeça por uma enfermidade devastadora. Tumores malignos cobriram a sua pele. Seu corpo apodrecia. Ele raspava suas feridas com cacos de telha. Da sua pele enegrecida e do seu corpo encarquilhado exalava- se um mau cheiro repugnante. As pessoas o praguejavam e cuspiam nele. Sua dor era atroz. Seu choro era constante. Desejou morrer antes de ter nascido. Amaldiçoou o dia do seu nascimento e suspirou ter encontrado os seios da sua mãe secos de leite, para morrer de fome na sua infância. Mas, a fúria de Satanás ainda ardia contra Jó. Agora, seu arquiinimigo joga a sua esposa contra ele. Ela, desestruturada, revolta-se contra Deus. Ergue seus punhos contra os céus. Deixa de ser aliviadora de tensões para ser uma algoz do seu marido. A Jó, só lhe restavam os amigos. Eles vem de longe, solidarizam-se com ele na sua dor, mas ao tentarem encontrar respostas para o seu sofrimento, assacam contra ele acusações pesadas e levianas. Acusam-no de adúltero, de ladrão, de opressor, de insolente, de hipócrita, de louco. Em vez de consoladores, tornaram-se carrascos.
A família de Jó estava toda arrebentada. Estava destruída. Estava no fundo do poço. Das profundezas da sua angustia, Jó ergueu ao céu dezesseis vezes a pergunta: Por que? Por que estou sofrendo? Por que perdi os meus filhos? Por que minha dor não cessa? Por que o Senhor não me mata? Por que o Senhor não responde as minhas orações? Jó lança para Deus mais de trinta vezes sua queixa amarga. Abre o seu coração, extravasa a sua dor, espreme as suas feridas e chora as suas magoas. Como resposta as suas perguntas perturbadoras, ele só escutou o silencio. Parecia que Deus estava distante e indiferente ao caos que havia se estabelecido em sua família. Na verdade, ninguém fez uma leitura correta dos problemas que haviam desabado sobre aquela família. A mulher de Jó ficou revoltada com Deus e pediu ao seu marido para amaldiçoa-lo. Jó pensou que sua aflição vinha do próprio Deus, por isso capitulou-se aos queixumes. Os amigos de Jó fizeram-lhe causticas e falsas acusações, dizendo que ele estava sofrendo por causa de seus graves pecados.
Aquela família estava num nevoeiro denso. Estava precisando de um avivamento. Então, do meio das trevas da dor, surge a luz da esperança. Do caos brotou a restauração. Do deserto, uma fonte de esperança começou a jorrar. Deus se revelou a Jó. Mostrou-lhe sua soberania e seu controle sobre todas as coisas. Jó compreendeu que os desígnios de Deus não podem ser frustrados (42.2). O sofrimento de Jó, em vez de endurece-lo, levou-o para mais perto de Deus (42.5,G). Deus converteu em benção toda maldição que o diabo lançou sobre Jó. Tudo o que o diabo tomou de Jó, Deus trouxe de volta.

1-Deus restaurou os bens de Jó (42.10). Ele ficou o dobro mais rico. Seus negócios prosperaram. Seus empreendimentos deram certo. A benção de Deus o enriqueceu.

2-Deus restaurou a saúde de Jó (42.1G,17). Deus o curou de todas as suas enfermidades. Ele viveu mais cento e quarenta anos e viu sua descendência se prolongar na terra.

3-Deus restaurou o seu casamento (42.12,13). Aquela mulher amarga e revoltada foi curada por Deus e eles tiveram uma linda história de amor.

4-Deus restaurou os filhos de Jó (42.13-1G). Deus lhe deu outros dez filhos. Agora, Jó tem dez filhos no céu e dez filhos na terra. O detalhe e que suas filhas agora são as mulheres mais bonitas do oriente.

5-Também Deus restaurou os amigos de Jó (42.7-9). Deus os fez ver a loucura c a injustiça que haviam cometido contra Jó. Deus converteu o choro em alegria, vale em manancial, o deserto em oásis, o ultimo estado melhor do que o primeiro (42.12). Satanás tentou destruir Jó, mas este saiu da crise mais fortalecido, mais rico e mais perto de Deus.

Hoje Deus pode fazer também um milagre na sua vida c na sua família. Se você esta vivendo em crise, mas confia em Deus, então, deixe de murmurar, ore e esteja certo de que um milagre está a caminho. Deus quer restaurar as finanças do seu lar. Ele quer salvar os seus filhos. Ele pode curar as suas enfermidades. Ele quer abençoar o seu casamento c reconciliar você com aqueles que o fizeram e ainda o fazem sofrer. Hoje e dia de restauração para o seu lar. Agora é o tempo de buscar um avivamento para a sua família!






“Portanto, vede prudentemente como andais não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor”. (Efésios 5:15-17).
Gostaria de enfatizar o versículo 16 desta passagem: “... remindo o tempo, porque os dias são maus". Passei algumas experiências nos últimos anos com o Senhor, e recentemente Ele pôs este versículo em meu coração como exortação, advertindo-me e ao mesmo tempo encorajando-me. “Aproveitando bem o tempo". A versão revista e atualizada traduz "remindo o tempo", ganhar o tempo, aproveitando ao máximo o tempo, porque os dias são maus. Estamos vivendo dias muito difíceis e precisamos olhar para o Senhor para nos animar e nos fortalecer.
Nestes dias, o Senhor tem falado particularmente ao meu coração, para que eu mesmo possa me voltar para ele e remir o tempo que ele tem me dado. Vivemos dias muito trabalhosos, e toda sorte de coisas tem acontecido para roubar o nosso tempo. Todos nós temos vinte e quatro horas por dia, mas parece que há tantas coisas para fazer, que não temos tempo para o Senhor. Algo está errado conosco. Talvez não com vocês, mas sim comigo.Nestes dias, o Senhor tem tocado o meu coração, para pôr algumas coisas em ordem em minha vida, porque por algum tempo, nos anos recentes, tenho estado tão ocupado com algumas coisas que, aquilo que é de fato muito importante diante do Senhor acaba sendo colocado de lado. Mas graças ao Senhor, que Ele tem falado comigo, e espero e desejo que o Senhor fale com cada um de vocês.
Quando refletimos sobre este assunto de “remir o tempo”, nos vêm dois pontos importantes e que eu gostaria de compartilhar com vocês.
As prioridades da nossa vida. Quando pensamos em como usar o nosso tempo ou como usá-lo melhor para o Senhor, uma primeira coisa que precisamos ver é quais são as prioridades do nosso coração, quais são as coisas mais importantes. E poderíamos nos perguntar: Será que o Senhor tem algum critério para nos dizer qual é a coisa mais importante?
Ainda que sejamos família celestial, povo celestial, nós estamos vivendo na terra. Não somos deste mundo, mas vivemos aqui. E precisamos olhar para o Senhor e perguntar a ele qual é a ordem de prioridades que Ele tem para a nossa vida.Eu creio que quando o Senhor, pelo Espírito Santo, levou Paulo a escrever Efésios, a partir do versículo 5:18, o Senhor o conduziu a colocar as coisas em uma ordem de prioridades para nós. A primeira delas está no versículo 18 a 21:
"Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução; mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, com hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor em vossos corações; dando sempre graças por tudo a Deus e Pai, no nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Submetei-vos uns aos outros no temor de Deus" (v. 18-21).Quando nós pensamos em prioridades, no que gastar o nosso tempo, então precisamos ver o
que Deus coloca em primeiro lugar para nós. Eu entendo que aqui a primeira coisa que o Senhor coloca é a nossa vida diretamente com ele. A prioridade número um para nós é a nossa vida com o Senhor.
A segunda coisa da qual Paulo fala é a relação entre marido e mulher. (Ef. 5: 22-33). Esta é uma segunda prioridade para nós, para aqueles que são casados. E a terceira que Paulo fala é sobre os filhos, a família. (Ef. 6:1-4). A quarta prioridade na seqüência é com respeito ao nosso trabalho, a respeito dos servos e os patrões. (Ef. 6:5-9). E por último, ele fala do nosso ministério, da nossa guerra espiritual, do nosso serviço aos santos, da nossa vida de oração. (Ef. 6:10-20).Então, se hoje desejamos ordenar o nosso tempo segundo a vontade de Deus, é importante que vejamos estas prioridades. Por isso o Senhor está dizendo que devemos viver prudentemente, como sábios, e não como néscios. Precisamos procurar conhecer a vontade do Senhor.
Qual é a vontade do Senhor para nós? Há muitos anos atrás, quando comecei a seguir ao Senhor, eu não tinha clareza a respeito destas prioridades. Então, por algum tempo, as prioridades da minha vida estavam invertidas, e sempre há um prejuízo quando isso acontece. Neste assunto de remir o nosso tempo, necessitamos em primeiro lugar ver as prioridades do Senhor. Muitas vezes temos percebido no meio do povo de Deus muitos prejuízos, muitos desastres, muitas pessoas feridas, porque essas prioridades estão invertidas.É muito natural que em primeiro lugar nós tenhamos ao Senhor. Isto está claro na Palavra. Precisamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas. Mas muito freqüentemente invertemos essa ordem, procuramos as outras coisas e não procuramos o reino de Deus; e ficamos sem o reino de Deus e também sem as outras coisas. Se procurarmos as outras coisas e não o reino de Deus, não recebemos nem as outras coisas nem o reino de Deus.
É um grande prejuízo quando não percebemos as prioridades de acordo com a vontade do Senhor. Às vezes, temos muitas desculpas para não fazer a Sua vontade. Como o Senhor Jesus falou com os escribas e fariseus, ele estava chamando a atenção deles porque eles diziam que se fosse oferecida alguma coisa ao Senhor e descuidassem dos seus pais, isso estaria bem. E o Senhor lhes disse: "Não, vocês estão invalidando a Palavra de Deus". Muitas vezes dizemos que queremos servir ao Senhor, e deixamos de lado os nossos pais ou a nossa família, e isto é uma inversão das prioridades de Deus. Às vezes, nós que somos casados queremos servir ao Senhor, e colocamos a obra de Deus em primeiro lugar. Mas Deus nos diz que devemos ser fiéis no pouco, e ele nos colocará sobre o muito. Muitas vezes ser fiéis no pouco significa dar atenção à nossa família, à nossa esposa. Isto é muito importante.
Existem alguns servos do Senhor, que depois de muitos anos trabalhando na obra de Deus tem nos dito que se começassem novamente, não fariam como fizeram, porque eles tinham a ordem invertida, deixaram a sua família em um grande prejuízo por causa da obra de Deus.É necessário ter um equilíbrio. Para que sejamos edificados, para que haja harmonia em nossas vidas, para que o nosso tempo seja bem investido, precisamos ter essa ordem de Deus muito clara em nossos corações.
Às vezes, temos colocado o nosso trabalho em primeiro lugar. E dizemos: 'Eu preciso trabalhar para sustentar a minha família', e então trabalhamos muito. Muitas vezes isso é um engano de Satanás. Lembrem do povo de Deus no Egito. Uma das estratégias de Satanás, a estratégia de faraó, foi pôr mais trabalho sobre o povo. Faraó disse: 'Vocês estão com muito tempo ocioso, por isso vocês querem oferecer sacrifícios ao Senhor. Então, eu vou tirar-lhes a palha, e terão que produzir mais tijolos'.
Este é um sistema que impera hoje também. Tiram a palha e temos que produzir mais. Precisamos colocar as coisas em ordem. As prioridades de Deus devem estar em seu lugar; e também temos que fazer todas as coisas de acordo com a Sua vontade. Por isso, esta palavrade Paulo é tão importante.
Devemos viver, não como néscios, mas como sábios; devemos procurar a vontade de Deus. Dessa forma o Senhor nos mostrará qual é a sua vontade e como ter uma vida equilibrada para remir o nosso tempo. Esse é o primeiro ponto. Que o Senhor nos abençoe e nos dê clareza a respeito das suas prioridades; que não invertamos essas prioridades, e que também não enfatizemos mais umas em detrimento de outras.
Quando a nossa vida com Deus, a nossa busca do Senhor, está em primeiro lugar, Ele então irá nos dar sabedoria para ter as outras prioridades na ordem correta.
“Portanto, vede prudentemente como andais não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor”. (Efésios 5:15-17).
Gostaria de enfatizar o versículo 16 desta passagem: “... remindo o tempo, porque os dias são maus". Passei algumas experiências nos últimos anos com o Senhor, e recentemente Ele pôs este versículo em meu coração como exortação, advertindo-me e ao mesmo tempo encorajando-me. “Aproveitando bem o tempo". A versão revista e atualizada traduz "remindo o tempo", ganhar o tempo, aproveitando ao máximo o tempo, porque os dias são maus. Estamos vivendo dias muito difíceis e precisamos olhar para o Senhor para nos animar e nos fortalecer.
Nestes dias, o Senhor tem falado particularmente ao meu coração, para que eu mesmo possa me voltar para ele e remir o tempo que ele tem me dado. Vivemos dias muito trabalhosos, e toda sorte de coisas tem acontecido para roubar o nosso tempo. Todos nós temos vinte e quatro horas por dia, mas parece que há tantas coisas para fazer, que não temos tempo para o Senhor. Algo está errado conosco. Talvez não com vocês, mas sim comigo.Nestes dias, o Senhor tem tocado o meu coração, para pôr algumas coisas em ordem em minha vida, porque por algum tempo, nos anos recentes, tenho estado tão ocupado com algumas coisas que, aquilo que é de fato muito importante diante do Senhor acaba sendo colocado de lado. Mas graças ao Senhor, que Ele tem falado comigo, e espero e desejo que o Senhor fale com cada um de vocês.
Quando refletimos sobre este assunto de “remir o tempo”, nos vêm dois pontos importantes e que eu gostaria de compartilhar com vocês.
As prioridades da nossa vidaQuando pensamos em como usar o nosso tempo ou como usá-lo melhor para o Senhor, uma primeira coisa que precisamos ver é quais são as prioridades do nosso coração, quais são as coisas mais importantes. E poderíamos nos perguntar: Será que o Senhor tem algum critério para nos dizer qual é a coisa mais importante?
Ainda que sejamos família celestial, povo celestial, nós estamos vivendo na terra. Não somos deste mundo, mas vivemos aqui. E precisamos olhar para o Senhor e perguntar a ele qual é a ordem de prioridades que Ele tem para a nossa vida.Eu creio que quando o Senhor, pelo Espírito Santo, levou Paulo a escrever Efésios, a partir do versículo 5:18, o Senhor o conduziu a colocar as coisas em uma ordem de prioridades para nós. A primeira delas está no versículo 18 a 21:
"Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução; mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, com hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor em vossos corações; dando sempre graças por tudo a Deus e Pai, no nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Submetei-vos uns aos outros no temor de Deus" (v. 18-21).Quando nós pensamos em prioridades, no que gastar o nosso tempo, então precisamos ver o
que Deus coloca em primeiro lugar para nós. Eu entendo que aqui a primeira coisa que o Senhor coloca é a nossa vida diretamente com ele. A prioridade número um para nós é anossa vida com o Senhor.
A segunda coisa da qual Paulo fala é a relação entre marido e mulher. (Ef. 5: 22-33). Esta é uma segunda prioridade para nós, para aqueles que são casados. E a terceira que Paulo fala é sobre os filhos, a família. (Ef. 6:1-4). A quarta prioridade na seqüência é com respeito ao nosso trabalho, a respeito dos servos e os patrões. (Ef. 6:5-9). E por último, ele fala do nosso ministério, da nossa guerra espiritual, do nosso serviço aos santos, da nossa vida de oração. (Ef. 6:10-20).Então, se hoje desejamos ordenar o nosso tempo segundo a vontade de Deus, é importante que vejamos estas prioridades. Por isso o Senhor está dizendo que devemos viver prudentemente, como sábios, e não como néscios. Precisamos procurar conhecer a vontade do Senhor.
Qual é a vontade do Senhor para nós? Há muitos anos atrás, quando comecei a seguir ao Senhor, eu não tinha clareza a respeito destas prioridades. Então, por algum tempo, as prioridades da minha vida estavam invertidas, e sempre há um prejuízo quando isso acontece. Neste assunto de remir o nosso tempo, necessitamos em primeiro lugar ver as prioridades do Senhor. Muitas vezes temos percebido no meio do povo de Deus muitos prejuízos, muitos desastres, muitas pessoas feridas, porque essas prioridades estão invertidas.É muito natural que em primeiro lugar nós tenhamos ao Senhor. Isto está claro na Palavra. Precisamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas. Mas muito freqüentemente invertemos essa ordem, procuramos as outras coisas e não procuramos o reino de Deus; e ficamos sem o reino de Deus e também sem as outras coisas. Se procurarmos as outras coisas e não o reino de Deus, não recebemos nem as outras coisas nem o reino de Deus.
É um grande prejuízo quando não percebemos as prioridades de acordo com a vontade do Senhor. Às vezes, temos muitas desculpas para não fazer a Sua vontade. Como o Senhor Jesus falou com os escribas e fariseus, ele estava chamando a atenção deles porque eles diziam que se fosse oferecida alguma coisa ao Senhor e descuidassem dos seus pais, isso estaria bem. E o Senhor lhes disse: "Não, vocês estão invalidando a Palavra de Deus".{mospagebreak}Muitas vezes dizemos que queremos servir ao Senhor, e deixamos de lado os nossos pais ou a nossa família, e isto é uma inversão das prioridades de Deus. Às vezes, nós que somos casados queremos servir ao Senhor, e colocamos a obra de Deus em primeiro lugar. Mas Deus nos diz que devemos ser fiéis no pouco, e ele nos colocará sobre o muito. Muitas vezes ser fiéis no pouco significa dar atenção à nossa família, à nossa esposa. Isto é muito importante.
Existem alguns servos do Senhor, que depois de muitos anos trabalhando na obra de Deus tem nos dito que se começassem novamente, não fariam como fizeram, porque eles tinham a ordem invertida, deixaram a sua família em um grande prejuízo por causa da obra de Deus.É necessário ter um equilíbrio. Para que sejamos edificados, para que haja harmonia em nossas vidas, para que o nosso tempo seja bem investido, precisamos ter essa ordem de Deus muito clara em nossos corações.
Às vezes, temos colocado o nosso trabalho em primeiro lugar. E dizemos: 'Eu preciso trabalhar para sustentar a minha família', e então trabalhamos muito. Muitas vezes isso é um engano de Satanás. Lembrem do povo de Deus no Egito. Uma das estratégias de Satanás, a estratégia de faraó, foi pôr mais trabalho sobre o povo. Faraó disse: 'Vocês estão com muito tempo ocioso, por isso vocês querem oferecer sacrifícios ao Senhor. Então, eu vou tirar-lhes a palha, e terão que produzir mais tijolos'.
Este é um sistema que impera hoje também. Tiram a palha e temos que produzir mais. Precisamos colocar as coisas em ordem. As prioridades de Deus devem estar em seu lugar; e também temos que fazer todas as coisas de acordo com a Sua vontade. Por isso, esta palavrade Paulo é tão importante.
Devemos viver, não como néscios, mas como sábios; devemos procurar a vontade de Deus. Dessa forma o Senhor nos mostrará qual é a sua vontade e como ter uma vida equilibrada para remir o nosso tempo. Esse é o primeiro ponto. Que o Senhor nos abençoe e nos dê clareza a respeito das suas prioridades; que não invertamos essas prioridades, e que também não enfatizemos mais umas em detrimento de outras.
Quando a nossa vida com Deus, a nossa busca do Senhor, está em primeiro lugar, Ele então irá nos dar sabedoria para ter as outras prioridades na ordem correta.






Somos abençoados quando nos aproximamos de Deus através da
oração. Sentimos tristeza ao perceber que muitas igrejas demonstram tão
pouca importância à oração coletiva. De que maneira receberemos alguma
bênção, se nos mostramos negligentes em pedi-la? Podemos aguardar um
Pentecostes, se jamais nos reunimos uns com os outros, a fim de esperar
no Senhor? Irmãos, nossas igrejas nunca serão melhores, enquanto os
crentes não estimarem intensamente a reunião de oração. Mas, estando
reunidos para oração, de que maneira devemos orar? Tenhamos cuidado
para não cair no formalismo, pois estaremos mortos, imaginando que
possuímos vida. Não duvidemos, motivados por incredulidade, ou
estaremos orando em vão. Oh! que tenhamos fé imensa, para com ela
apresentarmos a Deus grandes súplicas! Temos misturado o louvor e a
oração como um precioso composto de especiarias, adequado para ser
oferecido sobre o altar de incenso por intermédio de Cristo, nosso Senhor.
Não poderíamos agora apresentar- Lhe uma súplica especial, de maior
alcance? Parece a mim que deveríamos orar em favor de um verdadeiro e
puro avivamento em todo o mundo.
UM AVIVAMENTO GENUÍNO E DURADOURO
Regozijo-me com quaisquer evidências de vida espiritual, ainda que sejam
entusiásticas e temporárias, e não sou precipitado em condenar qualquer
movimento bem-intencionado. Contudo, tenho bastante receio
Fé para Hoje 18 de que muitos dos chamados avivamentos, em última
análise, causaram mais danos do que benefícios. Uma espécie de loteria
religiosa tem fascinado muitos homens, trazendo-lhes repúdio pelo bom
senso da verdadeira piedade. Não desejo menosprezar o ouro genuíno, ao
desmascarar as falsificações. Longe disso. Acima de tudo, desejamos que o
Senhor envie-nos um verdadeiro e duradouro avivamento espiritual.
Precisamos de uma obra sobrenatural da parte do Espírito Santo, trazendo
poder à pregação da Palavra, motivando com vigor celestial todos os
crentes, afetando solenemente os corações dos indolentes, para que se
convertam a Deus e vivam. Se este avivamento acontecesse, não seríamos
embriagados pelo vinho do entusiasmo carnal, mas cheios do Espírito.
Contemplaríamos o fogo dos céus manifestando-se em resposta às
fervorosas orações de homens piedosos. Não podemos rogar que o Senhor,
nosso Deus, revele seu poderoso braço aos olhos de todos os homens
nestes dias de declínio e vaidade?
ANTIGAS DOUTRINAS
Queremos um avivamento das antigas doutrinas. Não conhecemos uma
doutrina bíblica que, no presente, não tenha sido cuidadosamente
prejudicada por aqueles que deveriam defendê-la. Há muitas doutrinas
preciosas às nossas almas que têm sido negadas por aqueles cujo ofício é
proclamá-las. Para mim é evidente que necessitamos de um avivamento da
antiga pregação do evangelho, tal como a de Whitefield e de Wesley. As
Escrituras têm de se tornar o infalível alicerce de todo o ensino da igreja; a
queda, a redenção e a regeneração dos homens precisam ser apresentadas
em termos inconfundíveis.
DEVOÇÃO PESSOAL
Necessitamos urgentemente de um avivamento da devoção pessoal. Este é,
sem dúvida, o segredo do progresso da igreja. Se os crentes perdem a sua
firmeza, a igreja é arremessada de um lado para o outro. Quando eles
permanecem firmes na fé, a igreja continua fiel ao seu Senhor. O futuro da
igreja, nas mãos de Deus, depende de pessoas que na realidade são
espirituais e piedosas. Oh! que o Senhor levante mais homens
genuinamente piedosos, vivificados pelo Espírito Santo, consagrados ao
Senhor e santificados pela verdade! Irmãos, cada um de nós precisa viver,
para que a igreja continue viva. Temos de viver para Deus, se desejamos
ver a vontade do Senhor prosperar em nossas mãos. Homens consagrados
tornam-se o sal da sociedade e os salvadores da raça humana.
ESPIRITUALIDADE NO LAR
Necessitamos profundamente do avivamento da espiritualidade no lar. A
família cristã era o baluarte da piedade na época dos puritanos; mas,
nesses dias maus, centenas de famílias chamadas cristãs não realizam
adoração no lar, não estabelecem restrições, nem ministram qualquer
disciplina e ensino aos seus filhos. Como podemos esperar que o reino de
Deus prospere, quando os discípulos de Cristo não ensinam o evangelho a
seus próprios filhos? Ó homens e mulheres crentes, sejam cuidadosos
naquilo que fazem, sabem e ensinam! Suas famílias devem ser treinadas
no temor do Senhor, e sejam vocês mesmos “santos ao Senhor”. Deste
modo, permanecerão firmes como uma rocha no meio das ondas de terror
que surgirão e da impiedade que nos assedia.
INTENSO E CONSAGRADO PODER
Desejamos um avivamento de intenso e consagrado poder. Tenho
suplicado por verdadeira piedade; agora imploro por um de seus mais
nobres resultados. Precisamos de santos. Precisamos de mentes graciosas,
experimentadas em uma elevada qualidade de vida espiritual resultante de
freqüente comunhão com Deus, na quietude. Os santos adquirem nobreza
por meio de sua constante permanência no lugar onde se encontram com o
Senhor. É aí que adquirem o poder na oração que tanto necessitamos. Oh!
que o Senhor levante na igreja mais homens como John Knox, cujas
orações causavam à rainha Maria mais terror do que 10.000 soldados! Oh!
que tenhamos mais homens como Elias, que através de sua fé abriu e
fechou as janelas dos céus! Esse poder não surge por meio de um esforço
repentino; resulta de uma vida devotada ao Deus de Israel. Se toda a
nossa vida for pública, teremos uma existência insignificante, transitória e
ineficaz. Entretanto, se mantivermos intensa comunhão com Deus, em
secreto, seremos poderosos em fazer o bem. Aquele que é um príncipe com
Deus ocupará uma posição nobre entre os homens, de acordo com a
verdadeira avaliação de nobreza. Estejamos atentos para não sermos
pessoas dependentes de outras; nos esforcemos para descansar em nossa
verdadeira confiança no Senhor Jesus. Que nenhum de nós caia numa
situação de infeliz e medíocre dependência dos homens! Desejamos ter
entre nós crentes firmes e resistentes, assim como as grandes mansões
que permanecem, de geração em geração, como pontos de referência de
nosso país; não almejamos crentes semelhantes a casas de saibro, e sim a
edifícios bem construídos, capazes de suportar todas as intempéries e
desafiar o próprio tempo. Se na igreja tivermos um exército de homens
inabaláveis, firmes, constantes e sempre abundantes na obra do Senhor, a
glória da graça de Deus será claramente manifestada, não somente neles
mesmos, mas também naqueles que vivem ao seu redor. Que o Senhor nos
envie um avivamento de poder consagrado e celestial! Pregue por
intermédio de suas mãos, se você não pode pregar por meio de seus lábios.
Quando os membros de nossas igrejas demonstrarem o fruto de verdadeira
piedade, imediatamente encontraremos pesso- as perguntando qual a
árvore que produz esse fruto. A oração coletiva dos crentes é a primeira
parte de um Pentecostes; a conversão dos pecadores, a outra.
Começa somente com “uma reunião de oração”, mas termina com um
grande batismo de milhares de convertidos. Oh! que as orações dos
crentes se tornem como ímãs para os pecadores! E que o reunir-se de
homens piedosos seja uma isca para atrair os homens a Cristo! Venham
muitas pessoas a Jesus, porque vêem outros correrem em direção a Ele.
“Senhor, afastamos nosso olhar desses pobres e tolos procrastinadores e
buscamos a Ti, rogando-Te que os abençoes com o teu onisciente e
gracioso Espírito. Senhor, converte-os, e eles serão convertidos! Através de
sua conversão, rogamos que um avivamento comece hoje mesmo. Que este
avivamento se espalhe por todas as nossas casas e, depois, pela igreja, até
que todos os crentes sejam inflamados pelo fogo que desce dos céus!”


Citar mais a Bíblia Sagrada
Também devemos decidir que vamos citar mais a Bíblia Sagrada. Os sermões devem estar cheios da Bíblia; adoçados, fortalecidos e santificados com a essência da Bíblia. A espécie de sermões que as pessoas precisam ouvir são os que brotam da Bíblia. Se não gostam de ouvi-los, essa é mais uma razão pela qual devem ser pregados para eles. O evangelho tem a singular faculdade de criar o gosto por ele. As pessoas que ouvem a Bíblia de verdade tornam-se amantes da Bíblia. A mera apresentação de textos em conjunto é uma maneira infeliz de fazer sermões; embora alguns o tenham tentado, e não duvido que Deus os tenha abençoado, uma vez que fizeram seu melhor. É muito melhor apresentar os textos, do que despejar os medíocres pensamentos pessoais em uma torrente estéril. Pelo menos, haverá algo sobre o que se pensar e para lembrar se a Palavra Santa for citada; caso contrário, pode não haver nada. Contudo, os textos bíblicos não precisam ser apresentados em conjunto, eles devem ser apresentados de maneira adequada para trazer agudeza e sentido à mensagem. Eles são a força do sermão. Nossas palavras são meras bolinhas de papel se comparadas com o tiro de canhão da Palavra. A Escritura é a conclusão de tudo. Não há argumento depois que sabemos que "está escrito". Para a maioria dos ouvintes, no coração e na consciência, o debate está terminado quando o Senhor fala. "Assim diz o SENHOR" é o fim de qualquer discussão para os cristãos; mesmo os iníquos não podem resistir à Escritura sem resistir ao Espírito que a escreveu. Para ser convincentes devemos falar biblicamente. Pregar apenas a Palavra de Deus
Também estamos resolvidos a pregar apenas a Palavra de Deus. Em grande parte, a alienação das massas ao ouvir o evangelho se explica pelo triste fato de que nem sempre é o evangelho que ouvem quando se dirigem aos lugares de culto, e tudo o mais fracassa em fornecer o que suas almas precisam. Será que você nunca ouviu falar de um rei que fez uma série de grandes banquetes e convidou muitas pessoas, semana após semana? Ele tinha um bom número de servos encarregados de servir sua mesa; e, nos dias marcados, estes saíram e falaram com as pessoas. Mas, de alguma forma, depois de um tempo a maior parte das pessoas não vinha às festas. O número de convidados que comparecia era decrescente; a grande massa de cidadãos dava as costas aos banquetes. O rei indagou e descobriu que o alimento providenciado não parecia satisfazer os homens que vinham olhar os banquetes e, por isso, não vinham mais. Ele resolveu examinar pessoalmente as mesas e os alimentos servidos. Viu muita coisa fina e muitas peças expostas que não eram de seus armazéns. Olhou a comida e disse: "Mas o que é isso? Como esses pratos chegaram aqui? Não são do meu suprimento. Meus bois cevados foram mortos, mas não vejo carne de animais engordados, e sim carne dura de gado magro e faminto. Os ossos estão aqui, onde está a gordura e o tutano? O pão também é de má qualidade, onde está o meu que é feito do melhor trigo? O vinho está misturado com água, e a água não é de um poço limpo". Um dos presentes respondeu: "Ó rei, achamos que o povo estaria farto de tutano e gordura, assim lhes demos osso e cartilagem para pôr seus dentes à prova. Achamos também que estariam cansados do melhor pão branco, por isso assamos uns poucos em nossas casas, nos quais deixamos o farelo e a casca dos cereais. É opinião dos doutos que nosso alimento é mais adequado a esses tempos do que aquele que vossa majestade prescreveu há tanto tempo. Em relação aos vinhos com borra, o gosto dos homens não é esse na época atual; além disso, um líquido tão transparente como a água pura é uma bebida leve demais para homens que estão acostumados a beber do rio do Egito, cujo gosto é do barro que vem das montanhas da Lua". Assim, o rei entendeu porque as pessoas não vinham aos banquetes. Será que esse é o motivo pelo qual a casa de Deus tem se tornado tão desagradável para uma grande parcela da população? Creio que sim. Será que os servos do Senhor têm picado seus restos de miscelâneas e pequenas máculas para com isso fazer uma carne cozida para os milhões de fiéis, e, por isso, estes se afastam? Ouça o resto da minha parábola. O rei indignado exclamou: "Esvaziem as mesas! Joguem todo esse lixo para os cães. Tragam os barões da carne, mostrem minha comida real. Tirem essas bugigangas do salão e aquele pão adulterado da mesa e lancem fora a água do rio barrento". Eles fizeram como o rei mandou, e se minha parábola estiver certa, logo houve um rumor pelas ruas de que verdadeiras delícias reais eram oferecidas ali, o povo encheu o palácio e o nome do rei tornou-se de grande excelência por toda terra. Vamos experimentar esse plano. Quem sabe logo estaremos nos regozijando em ver o banquete do Mestre cheio de hóspedes.


Blogueiros assembleianos lançam selo pela unidade no Centenário

Um grupo de blogueiros assembleianos aderiu à campanha pela unidade nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus. O pastor Carlos Roberto, em recente encontro com o responsável por coordenar tais atividades, mencionou o tema e algumas semanas depois o pastor Geremias do Couto o trouxe para o blog com a postagem: Centenário da AD no Brasil: de que lado você está? Logo o irmão Luís, do blog evangelização, sugeriu que se criasse um selo para fomentar a ideia, que foi imediatamente encampada por outros colegas.

Alguns dias depois o irmão Elian Soares, do blog Evangelismo e Louvor, preparou o primeiro rascunho, o qual, depois de receber diversas sugestões, entre as quais a do companheiro Robson Silva, resultou no selo que acabamos de publicar em nossos blogs como uma das ferramentas para alavancar a campanha em favor de uma comemoração unida de todos os assembleianos, no ano do Centenário, incluindo CGADB, CONAMAD e a igreja-mãe, em Belém, PA.

O selo teve como idéia tornar a logomarca oficial do Centenário um quebra-cabeça, onde cada peça representa um ministério, visto que a nossa igreja forma esse grande mosaico com diferentes ministérios e convenções. As quatro mãos que montam o quebra-cabeça significam que a unidade em torno das comemorações do Centenário depende da boa vontade dos líderes e respectivos ministérios e convenções. Nosso papel é fomentar e ajudar essas mãos a montar o quebra-cabeça. Cremos que com a ajuda de Deus poderemos chegar lá. Mas no mínimo fizemos a nossa parte.

Trata-se de uma campanha sem partidarismos, sem donos e espontânea, que pretende estar acima de qualquer facciosismo, visando um verdadeiro congraçamento que contribua para celebrar a unidade, e para o seu fortalecimento, evitando que ela fique mais esgarçada em razão de comemorações que se prenunciam divididas, e que, desta forma, não representam os verdadeiros anseios do povo assembleiano.

Estes são os blogs que lançam, simultaneamente, a campanha na blogosfera cristã e, sobretudo, assembleiana:

A Supremacia das Escrituras, Marcello Oliveira.
A serviço do Rei Jesus, Ev. Jairo Elin.
Alerta final, Gesiel Costa.
Blog da Adélia Brunelli.
Blog do pastor Robson Aguiar.
Blog do pastor Newton Carpinteiro. Blog do Ivan Tadeu.
Blog do Pr. Flávio Constantino.
Blog do Pr. José Paulo Porte
Blog do Pr. Levi Agnaldo
Blog do Pr. Robson Aguiar
Cristianismo Radical, Juber Donizete.
Cristo é a Vida, Pb. Uilton Camilo
Dispensação da Graça Pr Andre Costa
Esboçando a Palavra
E agora, como viveremos?, Valmir Milhomem.
Encontro com a Bíblia, Matias Borba.
Geração Que Lamba, Victor Leonardo Barbosa.
Ide e Anunciai
Manhã com a Bíblia, Geremias do Couto.
Ministério São Paulo, Pr. Brunelli
O Pregador, Pb. Juari Barbosa.
Palavra de Mulher, Sarah Virgínia
Philadelfia – Evangelismo e Louvor, Elian Soares.
Plenitude da Graça
Point Rhema, Carlos Roberto Silva.
Profetizando a Palavra, Pb. Uilson Camilo.
Prossigo para o Alvo, Robson de Souza.
Reflexões sobre quase tudo, Daladier Lima.
Teologia Pentecostal, Gutierres Siqueira.
Victória Antenada, Victória Virgínialiel Gaby.



Se você deseja ver o povo assembleiano unido nas comemorações do Centenário, una-se conosco. Se você deseja ver as filhas em todo o Brasil ao lado da igreja-mãe comemorando a chegada dos pioneiros Gunnar Vingren e Daniel Berg há 100 anos na cidade de Belém, PA, trazidos pelo Espírito Santo para espalhar o fogo do movimento pentecostal no país, divulgue esta mensagem para outros blogueiros e coloque no seu blog o selo que ora lhe sugerimos.

Seja um fomentador da unidade nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus. Deus pode usar este movimento para aparar arestas, fazer cair por terra vaidades pessoais e cessar toda polarização que hoje tem sido motivo de muita tensão e discórdia entre as nossas lideranças.

Que o Senhor nos ajude.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

SEMANA NACIONAL DE ORAÇÃO E JEJUM



A DATA: 8 a 14 de Março de 2010
Mais informações:
http://www.cpad.com.br/semana_nacional/conteudo.html



A Classificação de países por perseguição é uma lista na qual os países são classificados segundo o grau de intolerância para com o cristianismo. Seu objetivo é informar a reação dos países ao evangelho e acompanhar aqueles em que a perseguição está se tornando mais intensa.



EM REVISTA
Uma análise do dia a dia da Igreja, à Luz das Sagradas Escrituras

Na próxima segunda-feira, 08.02.2010, às 19,30h, no templo central da Assembléia de Deus - Ministério de Cubatão, situado à Rua Assembléia de Deus número 251 - Centro Cubatão - SP, será lançado o livro

EM REVISTA,
Autoria do Pr. Carlos Roberto Silva.


O livro Contém 30 textos postados aqui neste blog.

Na ocasião, estará participando do evento, o Coral Cântico Celeste, o Grupo de Louvor ea Orquestra da Igreja, além de diversos blogueiros que já confirmaram presença.

Estará ministrando a Palavra de Deus, O
PR. GEREMIAS DO COUTO,
editor do Blog

sábado, 30 de janeiro de 2010

Casamento é uma viagem!



"Viajar com quem se ama pode ser prazeroso,mas nem é o que acontece.
Por que?"
Se você quer conhecer bem uma pessoa, faça
uma viagem de muitos dias com ela. Na medida em que o tempo for passando e a nível familiaridade for aumentando, a pessoa vai deixando vazar tudo aquilo que não deixaria num relacionamento rápido e superficial.
Casar é conhecer, e se conhece o cônjuge na medida em que a viagem vai acontecendo. Você já observou que todo quadro quando visto de longe é perfeito, porém, quando nos aproximamos, os defeitos vão aparecendo e concluímos que, não existe artista perfeito.
Durante o período do namoro, os dois contemplam o quadro de longe, e dá a impressão de que é perfeito, mas é no dia a dia da convivência conjugal os defeitos, as imperfeições, os hábitos, as manias vão aparecendo. Porém, os dois devem construir o relacionamento com base nas qualidades um do outro.
A viagem conjugal tem suas fases, na primeira, o que os dois enxergam um no outro, é aquilo que foi idealizado, sonhado, projetado. Tudo é maravilhoso e encantador, é a fase da idealização. Até o ronco dele soa como sinfonia angelical e a "baba" dela enquanto dorme o inspira. É quando ele diz pela manhã ao vê-la dormindo e babando: "Baba minha babadinha, porque até babada você é uma gracinha!" Essa fase é a fase do "amor-cégo", o príncipe ainda é azul. Depois de alguns meses, começa a segunda fase, é a fase da dês-idealização, que poderíamos chamar de "cair na real". Os dois percebem que não se casaram com "anjo", mas sim com um "ser-humano", cheio de limitações, imperfeições, defeitos etc.
O que todo casal não pode se esquecer, é que o casamento é uma bênção, mas é a união entre duas pessoas que estão num processo de cura e libertação. Essa compreensão pode tornar o ajustamento conjugal mais fácil, trazendo muita alegria nesta viagem. Uma pergunta que sempre faço em minhas palestras é: "Está sendo bom para o seu cônjuge viajar com você? Se fosse para ele(a) começar tudo de novo, você seria escolhido novamente?" Ouvi falar de um casal, que viveram cinqüenta anos de casados, depois ele morreu e foi para o céu. Após dois anos, a esposa que o amava muito vencida pela dor da saudade morreu e também foi para o céu. Ao chegar no céu a primeira pessoa que ela procurou foi seu marido. Quando ela o avistou de longe, gritou: - Meu velhooo! Ao ouvir a voz dela, ele gritou: - Auto lá, aqui não, você não lembra que é só até que a morte nos separasse!
Quanto tempo você quer que dure a sua viagem conjugal? Bodas de diamante são setenta e cinco anos de vida a dois. Para uma viagem de setenta e cinco anos, é necessário três coisas básicas: Planejamento, investimento e manutenção.
Planejamento. Ninguém faz uma viagem longa sem um planejamento criterioso. Planejar significa pensar antecipadamente. Pessoas que planejam sabem onde, quando e como chegar. Ninguém começa uma viagem sem saber para onde está indo. Planejar é pensar, calcular, desenhar, escrever, elaborar com base em um objetivo pré-definido. Stephen Covey, autor do livro "Os Sete Hábitos das Famílias Bem Sucedidas"1, chama isso de: "Missão Familiar Compartilhada". A maioria das pessoas para as quais eu pergunto: - O que você pensa para o seu casamento e família para daqui a dez anos? Onde vocês querem estar e o que pensam em conquistar daqui a vinte anos? A resposta quase sempre, é: - Não pensei nisto ainda, ou o futuro a Deus pertence, ou ainda, não estou muito certo quanto ao nosso futuro.
Se o casal deseja que a sua viagem alcance "bodas de diamante", setenta e cinco anos de vida conjugal é necessário uma preparação excepcional. Ninguém alcança esta marca sem planejamento, esforço e muita dedicação.
Investimento. Toda viagem longa tem o seu custo. Os que investem muito de si, vivem com mais qualidade e tornam a viagem mais prazerosa. No casamento, marido e mulher precisam diferenciar o que é "gasto", daquilo que é "investimento". A qualidade da viagem depende do quanto os dois estão disposto a investir, não apenas dinheiro, mas tempo, carinho, atenção, amor, dedicação etc.
Manutenção. Assim como o carro, o avião, o barco, o trem, precisa de manutenção, não é diferente o casamento. Quando não há paradas para manutenção, o risco de um acidente na viagem é sempre maior. Ninguém viaja com segurança quando não há paradas para manutenção no carro. Sem manutenção nenhum casamento vai muito longe.
Qualquer motorista experiente, ao perceber alguma luz amarela ou vermelha acessa no painel, entende que é hora de parar para revisão. Casais inteligentes, param ao primeiro sinal de alerta.
Alguns sinais de perigo na viagem conjugal, quando a luz de alerta acende:
1. O silêncio - Quando não há mais diálogo.
2. O desrespeito.
3. Pequenos motivos gerando grandes conflitos.
4. Encontros sexuais espaçados.
5. Problemas da vida a dois se tornando públicos.
6. Outras pessoas começam a se tornar atraente provocando constantes pensamentos de adultério.
7. Tudo no outro irrita.
8. Não há mais prestação de contas.
9. Não compartilham mais sonhos, projetos e ideais.
10. A indiferença.
11. Não há mais oração e nem compromisso com a leitura da Palavra.
12. Acabaram as refeições com todos à mesa.
13. A família de origem do cônjuge não é mais bem vinda.
Infelizmente alguns casais quando param para uma revisão já o problema já está em um estágio muito adiantado. É sempre mais fácil uma solução quando o problema está no inicio. Por melhor que seja o seu casamento, a possibilidade do surgimento de um problema no caminho, existe, não espere para ver se as coisas se resolvem por si mesmas. Ao primeiro sinal de perigo em seu casamento, pare, pessa ajuda, busque socorro, não trate com displicência aquilo que pode se tornar irreversível. Alguns casais quando me procuram, é quase impossível reverter, só um milagre...
Uma viagem de longa distância é agradável quando os dois na primeira parada, dizem um para o outro: "Já chegamos aqui? O tempo passou tão rápido e não percebemos, que viagem maravilhosa!" Separe um momento para conversar com o seu cônjuge, sobre como está sendo a viagem conjugal de vocês. Tenha coragem de perguntar: - Está sendo bom para você viajar comigo? Em sua opinião, o que está faltando para a nossa viajem conjugal ser melhor?
O que é necessário para que a viagem conjugal seja o mais agradável possível.
Pratique a arte do falar, ouvir e compreender.
Cuidado com a descomunicação na viagem!
Tudo na vida depende de como você se comunica com Deus, consigo mesmo e com o próximo. A incapacidade para o diálogo é a causa do fracasso da maioria dos relacionamentos. Viajar ao lado de alguém que não pratica a arte da comunicação construtiva ou se comunica de forma errada, é uma tortura psicológica insuportável. Já ouvi muitos casais dizendo: "Não conseguimos conversar sem brigar, ou, dialogamos muito pouco". A saúde de um casamento pode ser determinada pela qualidade da comunicação que os dois desenvolvem no relacionamento.
Geralmente as pessoas que tem dificuldade de se comunicar, é porque foram educadas em uma família disfuncional. É imprescindível que os pais pratiquem com os seus filhos a arte do diálogo, para que no futuro eles saibam construir relacionamentos de confiança dentro e fora de casa. Vejamos alguns pontos imprescindíveis para o sucesso da comunicação no casamento:
Pratique a arte do ouvir.
Uma das chaves mais importantes no relacionamento conjugal, está no "ouvir". Nenhum casamento floresce se os dois não treinarem a ouvir com excelência. Hebert Cohen, considerado um dos melhores negociadores do mundo, diz: "Para se ouvir de forma eficiente é preciso mais do que escutar as palavras que são ditas. É necessário compreender e descobrir o significado do que está sendo falado. A final de contas, o significado não está nas palavras, e sim nas pessoas".
Para ouvir é necessário atentar para algumas regras básicas:
Primeira regra: Ouça olhando nos olhos do cônjuge, com a mente desarmada e o coração aberto.
Uma questão de concentração. Só assim é possível ouvir para compreender, e não apenas para responder. Ninguém gosta de conversar com alguém que ouve mais preocupado em dar respostas do que em compreender. A comunicação só é eficaz quando há interesse mútuo de compreender. Jonh Maxwell em seu livro 25 Maneiras de Valorizar as Pessoas, nos mostra seis obstáculos que comprometem sua concentração para ouvir:
Distrações: telefonemas, tevê, bipes e coisas desse tipo podem dificultar bastante o ato de ouvir bem.
Atitude defensiva: Se você enxergar reclamações ou criticas como ataques pessoais, pode assumir uma atitude defensiva. À medida que começar a se proteger, vai se importar menos com o que as outras pessoas pensam e sentem.
Mente fecha. Quando pensa que possui todas as respostas, você fecha a sua mente. E acaba fechando os ouvidos também.
Projeção: Atribuir automaticamente os seus próprios pensamentos e sentimentos a outras pessoas impede que você perceba como elas se sentem.
Suposições: Quando você faz julgamentos precipitados, está se privando do seu próprio incentivo para ouvir.
Orgulho: Achar que os outros não tem muito a ensinar talvez seja mais prejudicial das distrações. A presunção deixa pouco espaço para a opinião do próximo.

Pesquisar neste Blog