Assembléias de Deus

Assembléias de Deus
Selo da unidade no centenário


MusicPlaylistRingtones
Create a playlist at MixPod.com

sexta-feira, 26 de março de 2010

Avivamento no Lar



Força hostis e tenebrosas conspiram contra a família e a encurralam de todos os lados, com o firme propósito de desestabiliza- la e destrui-la. Ha uma orquestração do inferno para dinamitar os alicerces desta instituição divina. Torpedos mortíferos estão sendo lançados sobre o lar nesta virada de milênio. Crises gigantescas e medonhas garroteiam a família e a estiolam. Tempestades borrascosas assolam-na com desmesurado rigor. A família tem se transformado, muitas vezes, em campo de guerra, em arena de brigas e mágoas e em cenário de decepção, desencanto e traição.
Em muitos lares a alegria da comunhão já morreu, o diálogo acabou, o fogo da devoção a Deus se apagou e o altar do culto doméstico está em ruínas, coberto de cinzas. A família esta sendo invadida por valores relativos e mundanos e envelopada pela mídia hedonista que despeja sobre os lares um veneno devastador e mortal. Muitos casamentos estão naufragando, vitimados pelo acidente trágico do divórcio, causado pela infidelidade, pela decepção e pela falência dos sonhos de uma vida feliz, deixando feridas profundas na vida dos filhos, que vivem o drama de serem filhos órfãos de pais vivos, afastados de seus pais, guando mais precisam deles.
Nesse contexto de convulsão social, da falência da virtude, do desbarrancamento da piedade, e necessário buscar a Deus c clamar por um avivamento na família, pois cremos que só em Deus está a cura e a restauração para ela. Deus pode pegar um vaso quebrado e fazer dele um vaso novo, pode soprar no vale de ossos secos e levantar daí um exército. Deus pode curar feridas, restaurar casamentos, converter o coração dos filhos aos pais, derramar amor no coração dos conjugues, capacita-los para perdoar e dar-lhes uma nova disposição para investir tudo na restauração da família.
Chamo sua atenção para uma família que foi bombardeada pela furia dc Satanas. Trata-se da família de Jó. Ele era um homem bem- sucedido. Realizado financeiramente. Tinha uma vida moral ilibada. Era elogiado pôr Deus. Era um pai extraordinário que tinha boa comunicação com os filhos e orava pôr eles constantemente às madrugadas. Satanás, porem, questionou a integridade de Jó e Cus permitiu que ele fosse provado. Satanás atingiu as cinco áreas vitais da sua vida:

1-Finanças;
2-Filhos;
3-Saúde;
4-Casamento;
5-Amizades.

Jó perdeu todos os seus bens. Ele foi a falência. Ele ficou arruinado financeiramente. Depois desse esbarro desinstalador, ele ainda perdeu seus dez filhos, esmagados e soterrados por um terremoto, num dia de festa e celebração da família. Esse pai, com o coração apertado vai para o cemitério sepultar todos os seus filhos num único dia. Se isso não bastasse, seu corpo foi ferido dos pés a cabeça por uma enfermidade devastadora. Tumores malignos cobriram a sua pele. Seu corpo apodrecia. Ele raspava suas feridas com cacos de telha. Da sua pele enegrecida e do seu corpo encarquilhado exalava- se um mau cheiro repugnante. As pessoas o praguejavam e cuspiam nele. Sua dor era atroz. Seu choro era constante. Desejou morrer antes de ter nascido. Amaldiçoou o dia do seu nascimento e suspirou ter encontrado os seios da sua mãe secos de leite, para morrer de fome na sua infância. Mas, a fúria de Satanás ainda ardia contra Jó. Agora, seu arquiinimigo joga a sua esposa contra ele. Ela, desestruturada, revolta-se contra Deus. Ergue seus punhos contra os céus. Deixa de ser aliviadora de tensões para ser uma algoz do seu marido. A Jó, só lhe restavam os amigos. Eles vem de longe, solidarizam-se com ele na sua dor, mas ao tentarem encontrar respostas para o seu sofrimento, assacam contra ele acusações pesadas e levianas. Acusam-no de adúltero, de ladrão, de opressor, de insolente, de hipócrita, de louco. Em vez de consoladores, tornaram-se carrascos.
A família de Jó estava toda arrebentada. Estava destruída. Estava no fundo do poço. Das profundezas da sua angustia, Jó ergueu ao céu dezesseis vezes a pergunta: Por que? Por que estou sofrendo? Por que perdi os meus filhos? Por que minha dor não cessa? Por que o Senhor não me mata? Por que o Senhor não responde as minhas orações? Jó lança para Deus mais de trinta vezes sua queixa amarga. Abre o seu coração, extravasa a sua dor, espreme as suas feridas e chora as suas magoas. Como resposta as suas perguntas perturbadoras, ele só escutou o silencio. Parecia que Deus estava distante e indiferente ao caos que havia se estabelecido em sua família. Na verdade, ninguém fez uma leitura correta dos problemas que haviam desabado sobre aquela família. A mulher de Jó ficou revoltada com Deus e pediu ao seu marido para amaldiçoa-lo. Jó pensou que sua aflição vinha do próprio Deus, por isso capitulou-se aos queixumes. Os amigos de Jó fizeram-lhe causticas e falsas acusações, dizendo que ele estava sofrendo por causa de seus graves pecados.
Aquela família estava num nevoeiro denso. Estava precisando de um avivamento. Então, do meio das trevas da dor, surge a luz da esperança. Do caos brotou a restauração. Do deserto, uma fonte de esperança começou a jorrar. Deus se revelou a Jó. Mostrou-lhe sua soberania e seu controle sobre todas as coisas. Jó compreendeu que os desígnios de Deus não podem ser frustrados (42.2). O sofrimento de Jó, em vez de endurece-lo, levou-o para mais perto de Deus (42.5,G). Deus converteu em benção toda maldição que o diabo lançou sobre Jó. Tudo o que o diabo tomou de Jó, Deus trouxe de volta.

1-Deus restaurou os bens de Jó (42.10). Ele ficou o dobro mais rico. Seus negócios prosperaram. Seus empreendimentos deram certo. A benção de Deus o enriqueceu.

2-Deus restaurou a saúde de Jó (42.1G,17). Deus o curou de todas as suas enfermidades. Ele viveu mais cento e quarenta anos e viu sua descendência se prolongar na terra.

3-Deus restaurou o seu casamento (42.12,13). Aquela mulher amarga e revoltada foi curada por Deus e eles tiveram uma linda história de amor.

4-Deus restaurou os filhos de Jó (42.13-1G). Deus lhe deu outros dez filhos. Agora, Jó tem dez filhos no céu e dez filhos na terra. O detalhe e que suas filhas agora são as mulheres mais bonitas do oriente.

5-Também Deus restaurou os amigos de Jó (42.7-9). Deus os fez ver a loucura c a injustiça que haviam cometido contra Jó. Deus converteu o choro em alegria, vale em manancial, o deserto em oásis, o ultimo estado melhor do que o primeiro (42.12). Satanás tentou destruir Jó, mas este saiu da crise mais fortalecido, mais rico e mais perto de Deus.

Hoje Deus pode fazer também um milagre na sua vida c na sua família. Se você esta vivendo em crise, mas confia em Deus, então, deixe de murmurar, ore e esteja certo de que um milagre está a caminho. Deus quer restaurar as finanças do seu lar. Ele quer salvar os seus filhos. Ele pode curar as suas enfermidades. Ele quer abençoar o seu casamento c reconciliar você com aqueles que o fizeram e ainda o fazem sofrer. Hoje e dia de restauração para o seu lar. Agora é o tempo de buscar um avivamento para a sua família!






“Portanto, vede prudentemente como andais não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor”. (Efésios 5:15-17).
Gostaria de enfatizar o versículo 16 desta passagem: “... remindo o tempo, porque os dias são maus". Passei algumas experiências nos últimos anos com o Senhor, e recentemente Ele pôs este versículo em meu coração como exortação, advertindo-me e ao mesmo tempo encorajando-me. “Aproveitando bem o tempo". A versão revista e atualizada traduz "remindo o tempo", ganhar o tempo, aproveitando ao máximo o tempo, porque os dias são maus. Estamos vivendo dias muito difíceis e precisamos olhar para o Senhor para nos animar e nos fortalecer.
Nestes dias, o Senhor tem falado particularmente ao meu coração, para que eu mesmo possa me voltar para ele e remir o tempo que ele tem me dado. Vivemos dias muito trabalhosos, e toda sorte de coisas tem acontecido para roubar o nosso tempo. Todos nós temos vinte e quatro horas por dia, mas parece que há tantas coisas para fazer, que não temos tempo para o Senhor. Algo está errado conosco. Talvez não com vocês, mas sim comigo.Nestes dias, o Senhor tem tocado o meu coração, para pôr algumas coisas em ordem em minha vida, porque por algum tempo, nos anos recentes, tenho estado tão ocupado com algumas coisas que, aquilo que é de fato muito importante diante do Senhor acaba sendo colocado de lado. Mas graças ao Senhor, que Ele tem falado comigo, e espero e desejo que o Senhor fale com cada um de vocês.
Quando refletimos sobre este assunto de “remir o tempo”, nos vêm dois pontos importantes e que eu gostaria de compartilhar com vocês.
As prioridades da nossa vida. Quando pensamos em como usar o nosso tempo ou como usá-lo melhor para o Senhor, uma primeira coisa que precisamos ver é quais são as prioridades do nosso coração, quais são as coisas mais importantes. E poderíamos nos perguntar: Será que o Senhor tem algum critério para nos dizer qual é a coisa mais importante?
Ainda que sejamos família celestial, povo celestial, nós estamos vivendo na terra. Não somos deste mundo, mas vivemos aqui. E precisamos olhar para o Senhor e perguntar a ele qual é a ordem de prioridades que Ele tem para a nossa vida.Eu creio que quando o Senhor, pelo Espírito Santo, levou Paulo a escrever Efésios, a partir do versículo 5:18, o Senhor o conduziu a colocar as coisas em uma ordem de prioridades para nós. A primeira delas está no versículo 18 a 21:
"Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução; mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, com hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor em vossos corações; dando sempre graças por tudo a Deus e Pai, no nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Submetei-vos uns aos outros no temor de Deus" (v. 18-21).Quando nós pensamos em prioridades, no que gastar o nosso tempo, então precisamos ver o
que Deus coloca em primeiro lugar para nós. Eu entendo que aqui a primeira coisa que o Senhor coloca é a nossa vida diretamente com ele. A prioridade número um para nós é a nossa vida com o Senhor.
A segunda coisa da qual Paulo fala é a relação entre marido e mulher. (Ef. 5: 22-33). Esta é uma segunda prioridade para nós, para aqueles que são casados. E a terceira que Paulo fala é sobre os filhos, a família. (Ef. 6:1-4). A quarta prioridade na seqüência é com respeito ao nosso trabalho, a respeito dos servos e os patrões. (Ef. 6:5-9). E por último, ele fala do nosso ministério, da nossa guerra espiritual, do nosso serviço aos santos, da nossa vida de oração. (Ef. 6:10-20).Então, se hoje desejamos ordenar o nosso tempo segundo a vontade de Deus, é importante que vejamos estas prioridades. Por isso o Senhor está dizendo que devemos viver prudentemente, como sábios, e não como néscios. Precisamos procurar conhecer a vontade do Senhor.
Qual é a vontade do Senhor para nós? Há muitos anos atrás, quando comecei a seguir ao Senhor, eu não tinha clareza a respeito destas prioridades. Então, por algum tempo, as prioridades da minha vida estavam invertidas, e sempre há um prejuízo quando isso acontece. Neste assunto de remir o nosso tempo, necessitamos em primeiro lugar ver as prioridades do Senhor. Muitas vezes temos percebido no meio do povo de Deus muitos prejuízos, muitos desastres, muitas pessoas feridas, porque essas prioridades estão invertidas.É muito natural que em primeiro lugar nós tenhamos ao Senhor. Isto está claro na Palavra. Precisamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas. Mas muito freqüentemente invertemos essa ordem, procuramos as outras coisas e não procuramos o reino de Deus; e ficamos sem o reino de Deus e também sem as outras coisas. Se procurarmos as outras coisas e não o reino de Deus, não recebemos nem as outras coisas nem o reino de Deus.
É um grande prejuízo quando não percebemos as prioridades de acordo com a vontade do Senhor. Às vezes, temos muitas desculpas para não fazer a Sua vontade. Como o Senhor Jesus falou com os escribas e fariseus, ele estava chamando a atenção deles porque eles diziam que se fosse oferecida alguma coisa ao Senhor e descuidassem dos seus pais, isso estaria bem. E o Senhor lhes disse: "Não, vocês estão invalidando a Palavra de Deus". Muitas vezes dizemos que queremos servir ao Senhor, e deixamos de lado os nossos pais ou a nossa família, e isto é uma inversão das prioridades de Deus. Às vezes, nós que somos casados queremos servir ao Senhor, e colocamos a obra de Deus em primeiro lugar. Mas Deus nos diz que devemos ser fiéis no pouco, e ele nos colocará sobre o muito. Muitas vezes ser fiéis no pouco significa dar atenção à nossa família, à nossa esposa. Isto é muito importante.
Existem alguns servos do Senhor, que depois de muitos anos trabalhando na obra de Deus tem nos dito que se começassem novamente, não fariam como fizeram, porque eles tinham a ordem invertida, deixaram a sua família em um grande prejuízo por causa da obra de Deus.É necessário ter um equilíbrio. Para que sejamos edificados, para que haja harmonia em nossas vidas, para que o nosso tempo seja bem investido, precisamos ter essa ordem de Deus muito clara em nossos corações.
Às vezes, temos colocado o nosso trabalho em primeiro lugar. E dizemos: 'Eu preciso trabalhar para sustentar a minha família', e então trabalhamos muito. Muitas vezes isso é um engano de Satanás. Lembrem do povo de Deus no Egito. Uma das estratégias de Satanás, a estratégia de faraó, foi pôr mais trabalho sobre o povo. Faraó disse: 'Vocês estão com muito tempo ocioso, por isso vocês querem oferecer sacrifícios ao Senhor. Então, eu vou tirar-lhes a palha, e terão que produzir mais tijolos'.
Este é um sistema que impera hoje também. Tiram a palha e temos que produzir mais. Precisamos colocar as coisas em ordem. As prioridades de Deus devem estar em seu lugar; e também temos que fazer todas as coisas de acordo com a Sua vontade. Por isso, esta palavrade Paulo é tão importante.
Devemos viver, não como néscios, mas como sábios; devemos procurar a vontade de Deus. Dessa forma o Senhor nos mostrará qual é a sua vontade e como ter uma vida equilibrada para remir o nosso tempo. Esse é o primeiro ponto. Que o Senhor nos abençoe e nos dê clareza a respeito das suas prioridades; que não invertamos essas prioridades, e que também não enfatizemos mais umas em detrimento de outras.
Quando a nossa vida com Deus, a nossa busca do Senhor, está em primeiro lugar, Ele então irá nos dar sabedoria para ter as outras prioridades na ordem correta.
“Portanto, vede prudentemente como andais não como néscios, e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus. Por esta razão, não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor”. (Efésios 5:15-17).
Gostaria de enfatizar o versículo 16 desta passagem: “... remindo o tempo, porque os dias são maus". Passei algumas experiências nos últimos anos com o Senhor, e recentemente Ele pôs este versículo em meu coração como exortação, advertindo-me e ao mesmo tempo encorajando-me. “Aproveitando bem o tempo". A versão revista e atualizada traduz "remindo o tempo", ganhar o tempo, aproveitando ao máximo o tempo, porque os dias são maus. Estamos vivendo dias muito difíceis e precisamos olhar para o Senhor para nos animar e nos fortalecer.
Nestes dias, o Senhor tem falado particularmente ao meu coração, para que eu mesmo possa me voltar para ele e remir o tempo que ele tem me dado. Vivemos dias muito trabalhosos, e toda sorte de coisas tem acontecido para roubar o nosso tempo. Todos nós temos vinte e quatro horas por dia, mas parece que há tantas coisas para fazer, que não temos tempo para o Senhor. Algo está errado conosco. Talvez não com vocês, mas sim comigo.Nestes dias, o Senhor tem tocado o meu coração, para pôr algumas coisas em ordem em minha vida, porque por algum tempo, nos anos recentes, tenho estado tão ocupado com algumas coisas que, aquilo que é de fato muito importante diante do Senhor acaba sendo colocado de lado. Mas graças ao Senhor, que Ele tem falado comigo, e espero e desejo que o Senhor fale com cada um de vocês.
Quando refletimos sobre este assunto de “remir o tempo”, nos vêm dois pontos importantes e que eu gostaria de compartilhar com vocês.
As prioridades da nossa vidaQuando pensamos em como usar o nosso tempo ou como usá-lo melhor para o Senhor, uma primeira coisa que precisamos ver é quais são as prioridades do nosso coração, quais são as coisas mais importantes. E poderíamos nos perguntar: Será que o Senhor tem algum critério para nos dizer qual é a coisa mais importante?
Ainda que sejamos família celestial, povo celestial, nós estamos vivendo na terra. Não somos deste mundo, mas vivemos aqui. E precisamos olhar para o Senhor e perguntar a ele qual é a ordem de prioridades que Ele tem para a nossa vida.Eu creio que quando o Senhor, pelo Espírito Santo, levou Paulo a escrever Efésios, a partir do versículo 5:18, o Senhor o conduziu a colocar as coisas em uma ordem de prioridades para nós. A primeira delas está no versículo 18 a 21:
"Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução; mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, com hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando ao Senhor em vossos corações; dando sempre graças por tudo a Deus e Pai, no nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Submetei-vos uns aos outros no temor de Deus" (v. 18-21).Quando nós pensamos em prioridades, no que gastar o nosso tempo, então precisamos ver o
que Deus coloca em primeiro lugar para nós. Eu entendo que aqui a primeira coisa que o Senhor coloca é a nossa vida diretamente com ele. A prioridade número um para nós é anossa vida com o Senhor.
A segunda coisa da qual Paulo fala é a relação entre marido e mulher. (Ef. 5: 22-33). Esta é uma segunda prioridade para nós, para aqueles que são casados. E a terceira que Paulo fala é sobre os filhos, a família. (Ef. 6:1-4). A quarta prioridade na seqüência é com respeito ao nosso trabalho, a respeito dos servos e os patrões. (Ef. 6:5-9). E por último, ele fala do nosso ministério, da nossa guerra espiritual, do nosso serviço aos santos, da nossa vida de oração. (Ef. 6:10-20).Então, se hoje desejamos ordenar o nosso tempo segundo a vontade de Deus, é importante que vejamos estas prioridades. Por isso o Senhor está dizendo que devemos viver prudentemente, como sábios, e não como néscios. Precisamos procurar conhecer a vontade do Senhor.
Qual é a vontade do Senhor para nós? Há muitos anos atrás, quando comecei a seguir ao Senhor, eu não tinha clareza a respeito destas prioridades. Então, por algum tempo, as prioridades da minha vida estavam invertidas, e sempre há um prejuízo quando isso acontece. Neste assunto de remir o nosso tempo, necessitamos em primeiro lugar ver as prioridades do Senhor. Muitas vezes temos percebido no meio do povo de Deus muitos prejuízos, muitos desastres, muitas pessoas feridas, porque essas prioridades estão invertidas.É muito natural que em primeiro lugar nós tenhamos ao Senhor. Isto está claro na Palavra. Precisamos buscar em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as demais coisas nos serão acrescentadas. Mas muito freqüentemente invertemos essa ordem, procuramos as outras coisas e não procuramos o reino de Deus; e ficamos sem o reino de Deus e também sem as outras coisas. Se procurarmos as outras coisas e não o reino de Deus, não recebemos nem as outras coisas nem o reino de Deus.
É um grande prejuízo quando não percebemos as prioridades de acordo com a vontade do Senhor. Às vezes, temos muitas desculpas para não fazer a Sua vontade. Como o Senhor Jesus falou com os escribas e fariseus, ele estava chamando a atenção deles porque eles diziam que se fosse oferecida alguma coisa ao Senhor e descuidassem dos seus pais, isso estaria bem. E o Senhor lhes disse: "Não, vocês estão invalidando a Palavra de Deus".{mospagebreak}Muitas vezes dizemos que queremos servir ao Senhor, e deixamos de lado os nossos pais ou a nossa família, e isto é uma inversão das prioridades de Deus. Às vezes, nós que somos casados queremos servir ao Senhor, e colocamos a obra de Deus em primeiro lugar. Mas Deus nos diz que devemos ser fiéis no pouco, e ele nos colocará sobre o muito. Muitas vezes ser fiéis no pouco significa dar atenção à nossa família, à nossa esposa. Isto é muito importante.
Existem alguns servos do Senhor, que depois de muitos anos trabalhando na obra de Deus tem nos dito que se começassem novamente, não fariam como fizeram, porque eles tinham a ordem invertida, deixaram a sua família em um grande prejuízo por causa da obra de Deus.É necessário ter um equilíbrio. Para que sejamos edificados, para que haja harmonia em nossas vidas, para que o nosso tempo seja bem investido, precisamos ter essa ordem de Deus muito clara em nossos corações.
Às vezes, temos colocado o nosso trabalho em primeiro lugar. E dizemos: 'Eu preciso trabalhar para sustentar a minha família', e então trabalhamos muito. Muitas vezes isso é um engano de Satanás. Lembrem do povo de Deus no Egito. Uma das estratégias de Satanás, a estratégia de faraó, foi pôr mais trabalho sobre o povo. Faraó disse: 'Vocês estão com muito tempo ocioso, por isso vocês querem oferecer sacrifícios ao Senhor. Então, eu vou tirar-lhes a palha, e terão que produzir mais tijolos'.
Este é um sistema que impera hoje também. Tiram a palha e temos que produzir mais. Precisamos colocar as coisas em ordem. As prioridades de Deus devem estar em seu lugar; e também temos que fazer todas as coisas de acordo com a Sua vontade. Por isso, esta palavrade Paulo é tão importante.
Devemos viver, não como néscios, mas como sábios; devemos procurar a vontade de Deus. Dessa forma o Senhor nos mostrará qual é a sua vontade e como ter uma vida equilibrada para remir o nosso tempo. Esse é o primeiro ponto. Que o Senhor nos abençoe e nos dê clareza a respeito das suas prioridades; que não invertamos essas prioridades, e que também não enfatizemos mais umas em detrimento de outras.
Quando a nossa vida com Deus, a nossa busca do Senhor, está em primeiro lugar, Ele então irá nos dar sabedoria para ter as outras prioridades na ordem correta.






Somos abençoados quando nos aproximamos de Deus através da
oração. Sentimos tristeza ao perceber que muitas igrejas demonstram tão
pouca importância à oração coletiva. De que maneira receberemos alguma
bênção, se nos mostramos negligentes em pedi-la? Podemos aguardar um
Pentecostes, se jamais nos reunimos uns com os outros, a fim de esperar
no Senhor? Irmãos, nossas igrejas nunca serão melhores, enquanto os
crentes não estimarem intensamente a reunião de oração. Mas, estando
reunidos para oração, de que maneira devemos orar? Tenhamos cuidado
para não cair no formalismo, pois estaremos mortos, imaginando que
possuímos vida. Não duvidemos, motivados por incredulidade, ou
estaremos orando em vão. Oh! que tenhamos fé imensa, para com ela
apresentarmos a Deus grandes súplicas! Temos misturado o louvor e a
oração como um precioso composto de especiarias, adequado para ser
oferecido sobre o altar de incenso por intermédio de Cristo, nosso Senhor.
Não poderíamos agora apresentar- Lhe uma súplica especial, de maior
alcance? Parece a mim que deveríamos orar em favor de um verdadeiro e
puro avivamento em todo o mundo.
UM AVIVAMENTO GENUÍNO E DURADOURO
Regozijo-me com quaisquer evidências de vida espiritual, ainda que sejam
entusiásticas e temporárias, e não sou precipitado em condenar qualquer
movimento bem-intencionado. Contudo, tenho bastante receio
Fé para Hoje 18 de que muitos dos chamados avivamentos, em última
análise, causaram mais danos do que benefícios. Uma espécie de loteria
religiosa tem fascinado muitos homens, trazendo-lhes repúdio pelo bom
senso da verdadeira piedade. Não desejo menosprezar o ouro genuíno, ao
desmascarar as falsificações. Longe disso. Acima de tudo, desejamos que o
Senhor envie-nos um verdadeiro e duradouro avivamento espiritual.
Precisamos de uma obra sobrenatural da parte do Espírito Santo, trazendo
poder à pregação da Palavra, motivando com vigor celestial todos os
crentes, afetando solenemente os corações dos indolentes, para que se
convertam a Deus e vivam. Se este avivamento acontecesse, não seríamos
embriagados pelo vinho do entusiasmo carnal, mas cheios do Espírito.
Contemplaríamos o fogo dos céus manifestando-se em resposta às
fervorosas orações de homens piedosos. Não podemos rogar que o Senhor,
nosso Deus, revele seu poderoso braço aos olhos de todos os homens
nestes dias de declínio e vaidade?
ANTIGAS DOUTRINAS
Queremos um avivamento das antigas doutrinas. Não conhecemos uma
doutrina bíblica que, no presente, não tenha sido cuidadosamente
prejudicada por aqueles que deveriam defendê-la. Há muitas doutrinas
preciosas às nossas almas que têm sido negadas por aqueles cujo ofício é
proclamá-las. Para mim é evidente que necessitamos de um avivamento da
antiga pregação do evangelho, tal como a de Whitefield e de Wesley. As
Escrituras têm de se tornar o infalível alicerce de todo o ensino da igreja; a
queda, a redenção e a regeneração dos homens precisam ser apresentadas
em termos inconfundíveis.
DEVOÇÃO PESSOAL
Necessitamos urgentemente de um avivamento da devoção pessoal. Este é,
sem dúvida, o segredo do progresso da igreja. Se os crentes perdem a sua
firmeza, a igreja é arremessada de um lado para o outro. Quando eles
permanecem firmes na fé, a igreja continua fiel ao seu Senhor. O futuro da
igreja, nas mãos de Deus, depende de pessoas que na realidade são
espirituais e piedosas. Oh! que o Senhor levante mais homens
genuinamente piedosos, vivificados pelo Espírito Santo, consagrados ao
Senhor e santificados pela verdade! Irmãos, cada um de nós precisa viver,
para que a igreja continue viva. Temos de viver para Deus, se desejamos
ver a vontade do Senhor prosperar em nossas mãos. Homens consagrados
tornam-se o sal da sociedade e os salvadores da raça humana.
ESPIRITUALIDADE NO LAR
Necessitamos profundamente do avivamento da espiritualidade no lar. A
família cristã era o baluarte da piedade na época dos puritanos; mas,
nesses dias maus, centenas de famílias chamadas cristãs não realizam
adoração no lar, não estabelecem restrições, nem ministram qualquer
disciplina e ensino aos seus filhos. Como podemos esperar que o reino de
Deus prospere, quando os discípulos de Cristo não ensinam o evangelho a
seus próprios filhos? Ó homens e mulheres crentes, sejam cuidadosos
naquilo que fazem, sabem e ensinam! Suas famílias devem ser treinadas
no temor do Senhor, e sejam vocês mesmos “santos ao Senhor”. Deste
modo, permanecerão firmes como uma rocha no meio das ondas de terror
que surgirão e da impiedade que nos assedia.
INTENSO E CONSAGRADO PODER
Desejamos um avivamento de intenso e consagrado poder. Tenho
suplicado por verdadeira piedade; agora imploro por um de seus mais
nobres resultados. Precisamos de santos. Precisamos de mentes graciosas,
experimentadas em uma elevada qualidade de vida espiritual resultante de
freqüente comunhão com Deus, na quietude. Os santos adquirem nobreza
por meio de sua constante permanência no lugar onde se encontram com o
Senhor. É aí que adquirem o poder na oração que tanto necessitamos. Oh!
que o Senhor levante na igreja mais homens como John Knox, cujas
orações causavam à rainha Maria mais terror do que 10.000 soldados! Oh!
que tenhamos mais homens como Elias, que através de sua fé abriu e
fechou as janelas dos céus! Esse poder não surge por meio de um esforço
repentino; resulta de uma vida devotada ao Deus de Israel. Se toda a
nossa vida for pública, teremos uma existência insignificante, transitória e
ineficaz. Entretanto, se mantivermos intensa comunhão com Deus, em
secreto, seremos poderosos em fazer o bem. Aquele que é um príncipe com
Deus ocupará uma posição nobre entre os homens, de acordo com a
verdadeira avaliação de nobreza. Estejamos atentos para não sermos
pessoas dependentes de outras; nos esforcemos para descansar em nossa
verdadeira confiança no Senhor Jesus. Que nenhum de nós caia numa
situação de infeliz e medíocre dependência dos homens! Desejamos ter
entre nós crentes firmes e resistentes, assim como as grandes mansões
que permanecem, de geração em geração, como pontos de referência de
nosso país; não almejamos crentes semelhantes a casas de saibro, e sim a
edifícios bem construídos, capazes de suportar todas as intempéries e
desafiar o próprio tempo. Se na igreja tivermos um exército de homens
inabaláveis, firmes, constantes e sempre abundantes na obra do Senhor, a
glória da graça de Deus será claramente manifestada, não somente neles
mesmos, mas também naqueles que vivem ao seu redor. Que o Senhor nos
envie um avivamento de poder consagrado e celestial! Pregue por
intermédio de suas mãos, se você não pode pregar por meio de seus lábios.
Quando os membros de nossas igrejas demonstrarem o fruto de verdadeira
piedade, imediatamente encontraremos pesso- as perguntando qual a
árvore que produz esse fruto. A oração coletiva dos crentes é a primeira
parte de um Pentecostes; a conversão dos pecadores, a outra.
Começa somente com “uma reunião de oração”, mas termina com um
grande batismo de milhares de convertidos. Oh! que as orações dos
crentes se tornem como ímãs para os pecadores! E que o reunir-se de
homens piedosos seja uma isca para atrair os homens a Cristo! Venham
muitas pessoas a Jesus, porque vêem outros correrem em direção a Ele.
“Senhor, afastamos nosso olhar desses pobres e tolos procrastinadores e
buscamos a Ti, rogando-Te que os abençoes com o teu onisciente e
gracioso Espírito. Senhor, converte-os, e eles serão convertidos! Através de
sua conversão, rogamos que um avivamento comece hoje mesmo. Que este
avivamento se espalhe por todas as nossas casas e, depois, pela igreja, até
que todos os crentes sejam inflamados pelo fogo que desce dos céus!”


Citar mais a Bíblia Sagrada
Também devemos decidir que vamos citar mais a Bíblia Sagrada. Os sermões devem estar cheios da Bíblia; adoçados, fortalecidos e santificados com a essência da Bíblia. A espécie de sermões que as pessoas precisam ouvir são os que brotam da Bíblia. Se não gostam de ouvi-los, essa é mais uma razão pela qual devem ser pregados para eles. O evangelho tem a singular faculdade de criar o gosto por ele. As pessoas que ouvem a Bíblia de verdade tornam-se amantes da Bíblia. A mera apresentação de textos em conjunto é uma maneira infeliz de fazer sermões; embora alguns o tenham tentado, e não duvido que Deus os tenha abençoado, uma vez que fizeram seu melhor. É muito melhor apresentar os textos, do que despejar os medíocres pensamentos pessoais em uma torrente estéril. Pelo menos, haverá algo sobre o que se pensar e para lembrar se a Palavra Santa for citada; caso contrário, pode não haver nada. Contudo, os textos bíblicos não precisam ser apresentados em conjunto, eles devem ser apresentados de maneira adequada para trazer agudeza e sentido à mensagem. Eles são a força do sermão. Nossas palavras são meras bolinhas de papel se comparadas com o tiro de canhão da Palavra. A Escritura é a conclusão de tudo. Não há argumento depois que sabemos que "está escrito". Para a maioria dos ouvintes, no coração e na consciência, o debate está terminado quando o Senhor fala. "Assim diz o SENHOR" é o fim de qualquer discussão para os cristãos; mesmo os iníquos não podem resistir à Escritura sem resistir ao Espírito que a escreveu. Para ser convincentes devemos falar biblicamente. Pregar apenas a Palavra de Deus
Também estamos resolvidos a pregar apenas a Palavra de Deus. Em grande parte, a alienação das massas ao ouvir o evangelho se explica pelo triste fato de que nem sempre é o evangelho que ouvem quando se dirigem aos lugares de culto, e tudo o mais fracassa em fornecer o que suas almas precisam. Será que você nunca ouviu falar de um rei que fez uma série de grandes banquetes e convidou muitas pessoas, semana após semana? Ele tinha um bom número de servos encarregados de servir sua mesa; e, nos dias marcados, estes saíram e falaram com as pessoas. Mas, de alguma forma, depois de um tempo a maior parte das pessoas não vinha às festas. O número de convidados que comparecia era decrescente; a grande massa de cidadãos dava as costas aos banquetes. O rei indagou e descobriu que o alimento providenciado não parecia satisfazer os homens que vinham olhar os banquetes e, por isso, não vinham mais. Ele resolveu examinar pessoalmente as mesas e os alimentos servidos. Viu muita coisa fina e muitas peças expostas que não eram de seus armazéns. Olhou a comida e disse: "Mas o que é isso? Como esses pratos chegaram aqui? Não são do meu suprimento. Meus bois cevados foram mortos, mas não vejo carne de animais engordados, e sim carne dura de gado magro e faminto. Os ossos estão aqui, onde está a gordura e o tutano? O pão também é de má qualidade, onde está o meu que é feito do melhor trigo? O vinho está misturado com água, e a água não é de um poço limpo". Um dos presentes respondeu: "Ó rei, achamos que o povo estaria farto de tutano e gordura, assim lhes demos osso e cartilagem para pôr seus dentes à prova. Achamos também que estariam cansados do melhor pão branco, por isso assamos uns poucos em nossas casas, nos quais deixamos o farelo e a casca dos cereais. É opinião dos doutos que nosso alimento é mais adequado a esses tempos do que aquele que vossa majestade prescreveu há tanto tempo. Em relação aos vinhos com borra, o gosto dos homens não é esse na época atual; além disso, um líquido tão transparente como a água pura é uma bebida leve demais para homens que estão acostumados a beber do rio do Egito, cujo gosto é do barro que vem das montanhas da Lua". Assim, o rei entendeu porque as pessoas não vinham aos banquetes. Será que esse é o motivo pelo qual a casa de Deus tem se tornado tão desagradável para uma grande parcela da população? Creio que sim. Será que os servos do Senhor têm picado seus restos de miscelâneas e pequenas máculas para com isso fazer uma carne cozida para os milhões de fiéis, e, por isso, estes se afastam? Ouça o resto da minha parábola. O rei indignado exclamou: "Esvaziem as mesas! Joguem todo esse lixo para os cães. Tragam os barões da carne, mostrem minha comida real. Tirem essas bugigangas do salão e aquele pão adulterado da mesa e lancem fora a água do rio barrento". Eles fizeram como o rei mandou, e se minha parábola estiver certa, logo houve um rumor pelas ruas de que verdadeiras delícias reais eram oferecidas ali, o povo encheu o palácio e o nome do rei tornou-se de grande excelência por toda terra. Vamos experimentar esse plano. Quem sabe logo estaremos nos regozijando em ver o banquete do Mestre cheio de hóspedes.


Blogueiros assembleianos lançam selo pela unidade no Centenário

Um grupo de blogueiros assembleianos aderiu à campanha pela unidade nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus. O pastor Carlos Roberto, em recente encontro com o responsável por coordenar tais atividades, mencionou o tema e algumas semanas depois o pastor Geremias do Couto o trouxe para o blog com a postagem: Centenário da AD no Brasil: de que lado você está? Logo o irmão Luís, do blog evangelização, sugeriu que se criasse um selo para fomentar a ideia, que foi imediatamente encampada por outros colegas.

Alguns dias depois o irmão Elian Soares, do blog Evangelismo e Louvor, preparou o primeiro rascunho, o qual, depois de receber diversas sugestões, entre as quais a do companheiro Robson Silva, resultou no selo que acabamos de publicar em nossos blogs como uma das ferramentas para alavancar a campanha em favor de uma comemoração unida de todos os assembleianos, no ano do Centenário, incluindo CGADB, CONAMAD e a igreja-mãe, em Belém, PA.

O selo teve como idéia tornar a logomarca oficial do Centenário um quebra-cabeça, onde cada peça representa um ministério, visto que a nossa igreja forma esse grande mosaico com diferentes ministérios e convenções. As quatro mãos que montam o quebra-cabeça significam que a unidade em torno das comemorações do Centenário depende da boa vontade dos líderes e respectivos ministérios e convenções. Nosso papel é fomentar e ajudar essas mãos a montar o quebra-cabeça. Cremos que com a ajuda de Deus poderemos chegar lá. Mas no mínimo fizemos a nossa parte.

Trata-se de uma campanha sem partidarismos, sem donos e espontânea, que pretende estar acima de qualquer facciosismo, visando um verdadeiro congraçamento que contribua para celebrar a unidade, e para o seu fortalecimento, evitando que ela fique mais esgarçada em razão de comemorações que se prenunciam divididas, e que, desta forma, não representam os verdadeiros anseios do povo assembleiano.

Estes são os blogs que lançam, simultaneamente, a campanha na blogosfera cristã e, sobretudo, assembleiana:

A Supremacia das Escrituras, Marcello Oliveira.
A serviço do Rei Jesus, Ev. Jairo Elin.
Alerta final, Gesiel Costa.
Blog da Adélia Brunelli.
Blog do pastor Robson Aguiar.
Blog do pastor Newton Carpinteiro. Blog do Ivan Tadeu.
Blog do Pr. Flávio Constantino.
Blog do Pr. José Paulo Porte
Blog do Pr. Levi Agnaldo
Blog do Pr. Robson Aguiar
Cristianismo Radical, Juber Donizete.
Cristo é a Vida, Pb. Uilton Camilo
Dispensação da Graça Pr Andre Costa
Esboçando a Palavra
E agora, como viveremos?, Valmir Milhomem.
Encontro com a Bíblia, Matias Borba.
Geração Que Lamba, Victor Leonardo Barbosa.
Ide e Anunciai
Manhã com a Bíblia, Geremias do Couto.
Ministério São Paulo, Pr. Brunelli
O Pregador, Pb. Juari Barbosa.
Palavra de Mulher, Sarah Virgínia
Philadelfia – Evangelismo e Louvor, Elian Soares.
Plenitude da Graça
Point Rhema, Carlos Roberto Silva.
Profetizando a Palavra, Pb. Uilson Camilo.
Prossigo para o Alvo, Robson de Souza.
Reflexões sobre quase tudo, Daladier Lima.
Teologia Pentecostal, Gutierres Siqueira.
Victória Antenada, Victória Virgínialiel Gaby.



Se você deseja ver o povo assembleiano unido nas comemorações do Centenário, una-se conosco. Se você deseja ver as filhas em todo o Brasil ao lado da igreja-mãe comemorando a chegada dos pioneiros Gunnar Vingren e Daniel Berg há 100 anos na cidade de Belém, PA, trazidos pelo Espírito Santo para espalhar o fogo do movimento pentecostal no país, divulgue esta mensagem para outros blogueiros e coloque no seu blog o selo que ora lhe sugerimos.

Seja um fomentador da unidade nas comemorações do Centenário das Assembleias de Deus. Deus pode usar este movimento para aparar arestas, fazer cair por terra vaidades pessoais e cessar toda polarização que hoje tem sido motivo de muita tensão e discórdia entre as nossas lideranças.

Que o Senhor nos ajude.

Pesquisar neste Blog